MARCO ZERO DE RECIFE

Final do verão é uma ótima época para viajar: já passou o período de férias, já passou o carnaval e o clima continua maravilhoso. 
Foi assim que chegamos à nossa 3ª visita a Recife.

 Dessa vez conhecemos uma outra cidade, a Recife das igrejas e do Centro Histórico. 

Agora é moda ter o nome das cidades, mesmo as pequenas, em letras coloridas em lugar de destaque. A turistada ama e corre pra fotografar.
O de Recife fica no Marco Zero.


Vale dizer que ao chegar ao Marco Zero, todo renovado, é difícil saber onde concentrar o olhar, pois estamos cercados por belezas.

O Marco Zero é a praça Rio Branco, ao lado do Porto, a partir de onde todas as medidas oficiais de distâncias rodoviárias locais são marcadas.

De costas para o rio Capiberibe, qualquer um fica extasiado 
com esses 3 lindos prédios antigos.

O prédio da Caixa Cultural Recife é o amarelinho.



Esse edifício teve sua construção concluída em 1912, para abrigar 
o Bank of London & South America Limited. 

Em 1967 foi adquirido pela Bolsa de Valores de Pernambuco, que aí funcionou até 2006. Após um período de abandono, foi comprado pela Caixa Econômica que, ao reformá-lo, acrescentou 2 belas cúpulas em bronze. Tornou-se, então, um centro cultural com espaços de exposição, teatro e cafeteria. 



No prédio de cor mostarda fica a Associação Comercial de Pernambuco.

Vejam que esplendor !!!!




Encontrei, nessa página, informações acerca dessa edificação
http://www.recife.pe.gov.br/cidade/projetos/bairrodorecife/11_xx.htm


"O atual edifício foi inaugurado em 1915. 
Os vitrais e rosáceas que enfeitam o hall vieram da Inglaterra e têm 
desenhos de cana, cacau, café, algodão e fumo.
As escadarias são em ferro com corrimão em carvalho." 

Abaixo, o prédio do Santander Cultural, que está fechado. 


De frente para o rio, vemos, do lado direito, os Armazéns do Porto, tipo Estação das Docas de Belém do Pará. É recente a inauguração desse complexo, que reunirá vários restaurantes, cervejarias e bares.


Do lado oposto, está o Centro de Artesanato Pernambuco


Trabalhos em madeira, cerâmica e tear, além de bordados, são 
comercializados nesse espaço.








Para chegar ao Parque das Esculturas, atravessamos o rio Capibaribe em um barquinho. Os "barqueiros" ficam ali pelo Marco Zero e, quando veem turistas olhando pro outro lado, oferecem o serviço por 5 reais ida e volta [por pessoa] . 


Entramos numa f-u-r-a-d-a 2 vezes, pois o motor do barquinho não funcionava de jeito nenhum. Fomos nos afastando por causa da correnteza e, após inúmeras tentativas, o barqueiro cedeu aos nossos pedidos e chamou um colega para nos rebocar. 




Inaugurado em 2000, para a comemoração dos 500 anos do Brasil, o Parque das Esculturas apresenta obras de Francisco Brennand.



 




A volta foi bem problemática !  
O barqueiro disse que, quando quiséssemos voltar, era só ficarmos no pier, pois do outro lado eles nos veriam e viriam buscar. 



Mas na hora de voltar, tinha alguém do outro lado? Não!
Aguardamos, preocupados, por uns 15 minutos e só apareceu um barquinho quando duas pessoas resolveram conhecer o Parque. 
Fica um alerta: peguem o celular do barqueiro para telefonar quando quiserem retornar. 
De novo, em terra firme, seguimos para o Centro Histórico.



A Sinagoga Kahal Zur Israel foi a primeira das Américas. Os primeiros judeus chegaram em Recife como refugiados vindos dos Países Baixos, pois a Capitania Hereditária de Recife e Olinda era, na época, Colônia Holandesa.
Aqui eles teriam liberdade religiosa.



Continuando o passeio, chegamos ao Espaço Cultural Paço do Frevo, que está no prédio reformado da antiga Western Telegraph Company .



Esse lugar incrível visa difundir e manter viva a tradição do frevo, além de ser um centro de referência. O frevo foi reconhecido como Patrimônio Imaterial da Humanidade da Unesco
Centro de documentação, escola de música, escola de dança, espaço para exposições e uma rádio fazem parte desse pólo cultural. 



Toda terça feira a visita é gratuita. As visitas guiadas precisam ser agendadas.

Na simpática praça do Arsenal encontra-se também a Torre Malakof. Construída para servir como Observatório Astronômico e portão Monumental do Arsenal da Marinha.  


De onde vem esse nome?
A explicação encontrei no site www.pernambuco.com.

"Seu nome, Malakoff teria sido escolhido pela população local, que acompanhava com afinco através dos jornais o que acontecia ao sul da Rússia, atual Ucrânia, na Guerra da Criméia (1853-1855).
Encantada com a resistência dos guerreiros na Torre Malakoff original, teria sugerido a adoção do mesmo termo para a Torre pernambucana". 

Em 2000 passou a ser um espaço cultural dedicado, principalmente a
 fotografia e a música.  


Belíssimas casas podem ser observadas pelo centro da cidade, algumas reformadas e outras, infelizmente precisando de um trato para revelarem  também sua pompa.









FOTOS : J.C. ALVAREZ


Leia Também:


13 comentários

  1. Que legal seu passeio!! E importantíssima a dica sobre ficar atenta em relação ao barqueiro!!
    Bjooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. essas dicas, de furadas, são boas para não ficarmos em apuros e o passeio se transformar em aborrecimento, né ?

      Excluir
  2. Faz tanto tempo que fui para Recife que não lembro de quase nada... Adorei os lugares que você indicou... esse "museu" do Frevo parece ser bem legal... Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nini, quando puder volte pois vcs vão gostar muito, a cidade está muito bem cuidada.

      Excluir
  3. Ah, tantos anos que não vou a Recife, que deu saudades. Sou apaixonada por Pernambuco. Já quero voltar!

    ResponderExcluir
  4. Não sabia que Recife era tão linda, quero muito conhecer, ainda mais após ler seu post. Adorei!!!

    ResponderExcluir
  5. Sempre tive curiosidade em conhecer o Recifee, agora então, mais! :) Lindas fotos, como sempre. ;)

    ResponderExcluir
  6. Que linda a cidade, Lilian. Adorei as esculturas, não conhecia o artista Francisco Brennand. Grata pela partilha.
    Beijinhos e uma linda semana
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ruthia,querida
      Recife e Olinda são cidades muito lindas. Esse é um artista fantástico. Tem uma visita ao atelier dele e ao Instituto Ricardo Brennand que é um museu.

      Excluir
    2. Ruthia,querida
      Recife e Olinda são cidades muito lindas. Esse é um artista fantástico. Tem uma visita ao atelier dele e ao Instituto Ricardo Brennand que é um museu.

      Excluir
  7. Adorei encontrar um post detalhado sobre essa parte da minha cidade. Não sou natural de Recife, nasci no interior, mas depois de mais de 20 anos morando aqui me sinto recifense.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada,Cynara. Ainda faltam muitos posts sobre Recife e Olinda cidades que amo de paixão.

      Excluir
    2. Obrigada,Cynara. Ainda faltam muitos posts sobre Recife e Olinda cidades que amo de paixão.

      Excluir