03 fevereiro 2021

FINAL DE SEMANA EM SÃO PAULO : 12 PASSEIOS INCRÍVEIS

FINAL DE SEMANA EM SÃO PAULO : 12 PASSEIOS INCRÍVEIS


O que fazer final de semana em São Paulo.

Sabe aquela saudade enorme de fazer as malas e "botar o pé na estrada" ?  Pois é, eu estou assim, e, quando tudo isso passar, um dos lugares que desejo revisitar é São Paulo. Por não ser uma cidade turística, talvez, alguns estranhem a escolha do destino, mas, além de amar a cidade, é lá que mora meu filho caçula. Visitar São Paulo tem outro significado afetivo importante pois, também, é a terra natal do meu marido. Já estive, muitas vezes, na cidade para fazer cursos e acompanhar o marido em congressos e sempre aproveitamos para rever lugares da cidade. Para ajudar você a aproveitar melhor a cidade, selecionei 12 passeios incríveis para o final de semana em São Paulo.

As viagens curtas, de carro e em família, permanecerão no período pós Covid-19. Então, vamos aproveitar as dicas.

O que fazer final de semana em São Paulo -


1] Caminhar pela Paulista : visitar livraria, museus e centros culturais. 


A Avenida Paulista, um dos símbolos da cidade, foi inaugurada em 1891 e logo ocupada por belos  casarões residenciais nos mais diferentes estilos. Hoje, poucos ainda sobrevivem em meio aos enormes prédios, que são os protagonistas da avenida. Ao longo de 3km, convivem, democraticamente, muitos edifícios comerciais e alguns residenciais. A movimentação é intensa tanto de dia [ pela manhã, o movimento maior é das pessoas que trabalham por ali] quanto de noite, mas as "tribos" mudam : os skatistas ocupam o trecho próximo à Casa das Rosas e os músicos a calçada da frente dos shoppings. Aos domingos e feriados, os carros não têm vez e a Avenida Paulista é ocupada pelos pedestres, ciclistas e artistas de rua. Com espírito de pólo cultural, a Paulista tem sido palco de protestos e passeatas, assim como da corrida de São Silvestre, de paradas e de shows.

Caminhar pela Avenida Paulista, de uma ponta a outra, é um dos programas que mais gosto de fazer e que me dá aquela sensação de "cheguei em São Paulo". Geralmente, vou até lá de metrô, desço na estação Consolação e caminho até a Casa das Rosas. Aos domingos a avenida fica fechada ao trânsito e as pessoas aproveitam das mais variadas formas.

Precisando de hospedagem em SP ? Veja quantas opções legais.

Minha primeira parada é sempre no Conjunto Nacional e Livraria Cultura. Com 64 anos de idade, esse prédio chama atenção pela sua  arquitetura diferenciada. Foi um dos primeiros prédios comerciais construídos na Paulista. No térreo, sempre tem alguma exposição interessante para ser apreciada. 

O Conjunto Nacional abriga a Livraria Cultura que vale a visita, mesmo que você não queira comprar nada. Em 1969, a livraria foi inaugurada no Conjunto Nacional, mas, antes disso, funcionou durante 22 anos, sob o comando de Eva Herz, como uma biblioteca circulante que alugava livros. Dispõe de riquíssimo acervo nas mais diferentes áreas e de um teatro. Hoje, outras cidades brasileiras, também, podem contar com filiais da Livraria Cultura. 


De uns tempos pra cá, visito também o Instituto Moreira Sales. 

Instituto Moreira Salles, São Paulo.
Instituto Moreira Salles, São Paulo.









Continuando a caminhada, de longe, se avista as pilastras vermelhas do MASP. O Museu de Arte de Sào Paulo, instalado em um prédio que é ícone da arquitetura moderna, recebe frequentemente, importantes exposições temporárias. Seu acervo permanente, composto por quase 8000 quadros, entre obras de renomados artistas brasileiros e internacionais, passou a ter um destaque maior quando voltou a ser exposto em cavaletes de vidro. O vão central, que é um dos elementos de destaque na arquitetura, abriga, aos domingos, uma feira de antiguidades.

O Centro Cultural FIESP é outro lugar que vale a pena conferir a programação. Em uma de minhas estadias em São Paulo tive a oportunidade de visitar a exposição sobre o trabalho e vida de Alphonse Mucha, artista tcheco e um dos principais expoentes do Art Nouveau.

Itaú Cultural
A exposição permanente Brasiliana conta uma parte importante da história do Brasil através de gravuras de Rugendas, Debret e artistas alemães, ingleses e franceses. Só isso já vale a visita !  

Casa das Rosas

Também chamada de " Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura", vale a pena ser visitada, ainda mais, se você tem curiosidade de saber como era uma mansão do tempo dos barões do café. Consulte a agenda de exposições, eventos literários e cursos pois sempre tem algo interessante.
A casa foi projetada por Ramos de Azevedo conceituadíssimo arquiteto da época e responsável pelo projeto de importantes prédios da cidade tais como o Theatro Municipal e a Pinacoteca.
A entrada principal é na Av. Paulista, mas o terreno é muito grande e vai até o outro quarteirão, tendo entrada, também pela Alameda Santos. 

O que fazer final de semana em São Paulo.


No jardim há um anexo que talvez tenha sido uma edícula e hoje é o Caffé Ristoro que, apesar do nome, serve também almoço. Se estiver sem tempo, entre apenas para uma visita ao lindo jardim de rosas.

Casa das Rosas, São Paulo
Caffé Ristoro



Japan House 
Atravessando a avenida paulista encontra-se a Japan House, cuja fachada parece feita de retalhos de madeira, projeto do arquiteto japonês Kengo Kuma. Na verdade, o material usado foi o cedro japones - hinoki. Inaugurada em 2017, a Japan House ocupa um prédio de 3 andares destinado a exposições. No térreo há uma loja e biblioteca e, no terceiro andar, um restaurante. A Japan House é uma iniciativa do Ministério de Negócios Estrangeiros do Japão e tem como objetivo difundir a cultura japonesa nos mais diferentes aspectos. Já tive a oportunidade de visitar 2 exposições muito legais de trabalhos de artistas japoneses. 
   

2] Visitar o Theatro Municipal 

O Theatro Municipal, um dos cartões postais de São Paulo, foi inaugurado em 1911. Prédio bonito e imponente cuja arquitetura foi inspirada no Opera de Paris. Foi palco da Semana de Arte Moderna em 1922, quando o movimento modernista foi destaque apresentando as primeiras obras.
A visita guiada ao Theatro Municipal inclui a Praça das Artes, uma construção moderna, sede da Escola Municipal de Música e Escola de Dança de São Paulo.  

Veja que interessante o que o Blog Lugares de Memória nos apresenta sobre esse equipamento cultural. Leia o post : Theatro Municipal: o templo clássico que abriga renovação.  



Theatro Municipal de São Paulo



3] Farol Santander

Em 2018, a capital paulista ganhou mais um centro cultural, o Farol Santander, instalado em alguns andares do prédio histórico que, durante anos, foi a sede do Banespa - Banco do estado de São Paulo. Esse prédio, que é um dos ícones da cidade, foi inspirado no Empire State de NY. A linda fachada, no estilo art decô, é tombada. No hall social, um gigantesco lustre atrai as atenções. Não é para menos : 9987 peças de cristal, 240 lâmpadas e 1,5 toneladas

Do 19º ao 26º andar encontramos os espaços de exposição, entre eles o Espaço Memória que mostra, através de ambientes montados, como era o banco antigamente. Do mirante, no 26 º andar, dá pra ver parte do centro da cidade. Sempre há exposições temporárias interessantes e nós vimos uma sobre a obra de Adoniran Barbosa. Há no subsolo um imenso cofre, hoje aberto ao público, onde funciona um café.    

Incrível mesmo é a mostra permanente de Vik Muniz : "uma instalação fotográfica em que reconstruiu a vista, a partir de sua memória de infância, com 4 toneladas de material reciclado do próprio prédio". [Marcos Madureira]

Farol Santander, São Paulo
A terceira foto é um dos trabalhos de Vik Muniz.



4] O combo Estação da Luz/ Pinacoteca/ Sala São Paulo não pode estar fora do seu roteiro. Descendo na estação de metrô Luz, procure a saída Pinacoteca. Mas, antes de sair, admire a estação de trem por dentro; o imenso hall e a estrutura em ferro e vidro que cobre os trilhos. Depois, aprecie a elegância do prédio, pelo lado de fora, e sua torre do relógio. Lembra o Big Ben de Londres ! Projeto de um arquiteto inglês, foi inaugurada em 1867 e era a importante estação do trem que circulava entre o porto de Santos e a cidade de São Paulo. 

Estação da Luz, São Paulo
Estação da Luz, São Paulo



A Pinacoteca foi projetada por Ramos de Azevedo - reconhecido arquiteto responsável por vários prédios de SP - para ser o Liceu de Artes e Ofícios mas, após 6 anos, se transformou em museu de artes, o primeiro da cidade e, portanto o mais antigo museu de SP. O prédio da Pinacoteca é muito bonito e o acervo é bem legal. Tem um café no térreo, na área externa, que é muito interessante e de lá se pode  apreciar a estação da Luz de outro ângulo.

O que fazer no final de semana em São Paulo
Pinacoteca de São Paulo


Bem perto, está a Sala São Paulo, sede da Orquestra Sinfônica do estado de São Paulo que funciona no belo prédio da antiga estação de trem Júlio Prestes. Nessa estação chegava o trem da estrada de ferro Sorocabana trazendo a produção de café das cidades do interior paulista. Sua construção foi financiada pelos produtores de café e sua arquitetura tem influência francesa.     
Pra terem uma ideia da importância dessa região - Campos Elíseos - na época de sua construção, o nome foi dado em alusão a Champs Elysée de Paris. A visita guiada é muito legal para conhecermos, de perto, o significado de cada detalhe da arquitetura e de sua história.

Sala São Paulo/Estação Júlio Prestes
Sala São Paulo


Dica de linda hospedagem nos Jardins 

5] Mercado Municipal 

Mais conhecido como Mercadão, se tornou, há muito tempo, um ponto de visita obrigatório. O prédio histórico se destaca no centro de São Paulo e de longe se avista sua cúpula. Não deixe de observar os vitrais que retratam cenas de produção de alimentos.
Já ouviu falar do famoso sanduíche de mortadela ? É lá que você vai encontrar e se deliciar. Muitos turistas chegam ao mercadão atraídos pela fama do sanduíche e do bolinho de bacalhau, que eles chamam de pastel de bacalhau. No segundo andar há restaurantes pra quem procura por uma refeição ao invés de lanche. 
Frutas "exóticas", carnes, peixes, temperos, além de stands especializados em azeitonas, frutas cristalizadas, frios atendem tanto a chefs de restaurantes quanto aos que adoram preparar quitutes em casa. Estando na região, não deixe de garimpar, produtos por ótimo preço, na rua 25 de Março. 


O que fazer no fim de semana em São Paulo



6] Museu da Imigração do estado de São Paulo

Um pouco fora do circuito mais tradicional de passeios, o Museu da Imigração do estado de São Paulo é uma visita imperdível. O museu está instalado em um lindo prédio onde funcionou a Hospedaria dos Imigrantes. Esta foi fundada em 1887, próxima a antiga São Paulo Railway para receber e abrigar, temporariamente, os imigrantes que chegavam ao país para trabalhar na lavoura. Ali, recebiam tratamento médico, regularizavam os documentos, assinavam contratos de trabalho e eram, então, encaminhados para as cidades onde iriam trabalhar. Em 1930, passou a receber, também,  migrantes brasileiros e, em 1978, foi desativada. O prédio foi tombado, tornou-se o Memorial do Imigrante e passou por restauração para se adequar a estrutura de museu.

A forma como o acervo do museu é exibido transporta o visitante para uma viagem no tempo. Se fecharmos os olhos, somos capazes de imaginar o trem chegando e as famílias desembarcando esperançosas de um novo rumo às suas vidas. Malas, baús, objetos pessoais, brinquedos, fotos, certidões de nascimento e casamento, objetos de trabalho nos contam um pouco da história dos que por ali passaram. A parte mais emocionante é o setor onde podemos "ouvir" depoimentos de diferentes pessoas que aqui chegaram crianças ou jovens. Suas lembranças e suas saudades sobre as dificuldades iniciais, hábitos alimentares, costumes, crenças etc... me fizeram chorar. Interessante pensar sobre quanta contribuição intercultural temos na nossa formação.         
 
Muito rico o vídeo exibido, em uma das primeiras salas, contando a história dos deslocamentos que os homens fizeram, ao longo dos tempos, no planeta. Vale muito essa visita. 
Ao sair, não deixe de visitar a cafeteria bem simpática e a lojinha que vende livros infantis prioritariamente sobre o tema imigração.


Museu da Imigração, São Paulo.
Museu da Imigração, São Paulo.





8] Museu do Futebol

"Bola na trave não altera o placar
 Bola na área sem ninguém pra cabecear
 Bola na rede pra fazer o gol
 Quem nunca sonhou em ser um jogador de futebol ?" 
 Skank 

Mesmo quem não é fã de futebol vai curtir a visita ao museu que está instalado no estádio do Pacaembu. Só ver de perto o estádio prédio, já me encantou. É que sua fachada, no estilo Art Deco, é bem elegante. Inaugurado em 1940, ganhou destaque ao receber 6 jogos da Copa do Mundo de 1950. 

O museu, que foi inaugurado em 2008, tem como objetivo preservar a história desse esporte tão popular em nosso país, contando-a desde sua origem até os dias de hoje. Manter viva a memória de grandes jogadores e times e mostrar a importância do futebol, também, é um papel que o museu tem desempenhado.  
Percorrendo as 15 salas, fazemos um passeio pela história futebolística através de chuteiras, uniformes, medalhas, troféus, flâmulas, fotos, jornais e vídeos.  As mostras interativas são um ponto alto da visita. É emocionante ouvir a narração de jogos e de gols memoráveis. Jogar totó e jogar bola ao gol são formas lúdicas de encerrar a visita.
 

Museu do Futebol, São Paulo.


9] Instituto Tomie Ohtake/ Mercado de Pinheiros

No bairro de Pinheiros, encontra-se o Instituto Tomie Ohtake, uma espécie de complexo cultural com áreas de exposição, ateliers, livraria, salas para cursos, cinema e teatro. Inaugurado em 2001, foi fruto da criação de Ricardo e Ruy Ohtake, filhos da escultora Tomie Ohtake. O prédio - projeto de Ruy Ohtake - chama atenção pelas cores e design diferente com formas onduladas. Seu interior é um espaço muito amplo, com pé direito bem alto, em cimento aparente, com grandes paredes pintadas em tons fortes. 

Instituto Tomie Ohtake, São Paulo.
Instituto Tomie Ohtake, São Paulo.


No dia que visitamos o Instituto Tomie Ohtake, almoçamos no Mercado de Pinheiros, que fica próximo. Esse mercado existe desde 1910,  já mudou de endereço e passou de entreposto a um espaço mais moderno. Depois de um trabalho de revitalização, ganhou uma área externa/um deck com mesas e bancos de madeira e um ar gourmet com restaurantes e pizzaria, além de manter os boxes de legumes, frutas e carnes e peixaria. 

Mercado de Pinheiros, São Paulo.
Mercado de Pinheiros, São Paulo.



10] Fundação Ema Klabin


No bairro Jardim Europa, entre lindas mansões, está a Casa-Museu Ema Klabin. Um museu com rica e vasta coleção de obras de artistas tais como : Frans Post, Portinari, Carybé, Frans Krajcberg, Lasar Segall e outros.           
Ema Klabin, filha de um dos proprietários da indústria de papel e celulose Klabin, foi empresária e colecionadora. A casa, que hoje abriga o museu, foi inspirada no palácio Sanscouci de Potsdam, Alemanha e tem jardins projetados por Burle Marx. Além de conhecer o acervo, vale apreciar a residência e os jardins.

Casa Ema Klabin, São Paulo.
Casa Ema Klabin, São Paulo.



11] Parque do Ibirapuera


Outro programa, que não pode faltar, é um passeio pelo pulmão da capital paulista, o Parque do Ibirapuera. Inaugurado em 1954, o Ibirapuera é considerado um dos melhores parques urbanos do mundo. Foi construído em uma área que era alagada e a plantação de eucaliptos australianos ajudou a drenar o terreno. A concepção do parque foi sendo elaborada ao longo de anos mas, só em 1951, a equipe do renomado arquiteto Oscar Niemayer é contratada e o projeto arquitetônico começa a ser concretizado.   

Qualquer dia é dia de passear no Ibirapuera, mas, aos domingos e feriados, as atividades ganham um sabor especial. Caminhar, correr, andar de bicicleta, de patins, de skate. Muitas são as opções nesse imenso e lindo parque : museus, planetário, três lagos com fontes, quadras e jardins. O visitante atento verá muitas espécies de árvores e plantas. Os cisnes e patos se divertem nos lagos e distraem quem está por perto. O imenso espaço embaixo da marquise, que interliga prédios, virou palco de "tudo que desliza" e ponto de encontro de diferentes "tribos". Grafites dos Gêmeos e do Kobra conferem um colorido mais que especial ao local.  

Tem gente namorando, muitos praticando esportes, outros fazendo fotos de casamento ou gravidez, tem famílias em piquenique ou comemorando niver, tem amigos de 4 patas acompanhando seus donos, grupos em performances de dança. Enfim, cada um curte o parque da maneira que achar melhor.  

Parque do Ibirapuera, São Paulo.
Parque do Ibirapuera, São Paulo.




12] Parque da Independência/ Museu do Ipiranga 


Com ares franceses, talvez pelos jardins levemente inspirados em Versalhes, o Parque da Independência tem, em uma extremidade, o imponente prédio do Museu do Ipiranga e, do outro, o Monumento à Independência. O Parque foi inaugurado, em 1989, bem próximo ao córrego do Ipiranga onde foi proclamada a independência do país.    

O Museu Paulista da Universidade de São Paulo, anteriormente, chamado museu de História Natural, é de 1895, sendo considerado o mais antigo do país. Encontra-se fechado desde meados de 2014, com previsão de reabertura para 2022. Em seu acervo, a obra mais famosa é o enorme quadro "Independência ou Morte" que retrata a cena histórica da independência do país. 

Já o monumento à Independência foi inaugurado no ano de comemoração do centenário da independência e tem, no subsolo, o mausoléu com os restos mortais de D.Pedro I e suas esposas. 

Museu do Ipiranga, São Paulo
Skates e carrinhos de rolimã deslizam na área que fica na frente do museu. 


Atrás do museu, há uma grande área arborizada, ótima para caminhada e outras atividades físicas.   

No entorno do parque, muitas mansões belíssimas, entre elas, o Palacete Violeta, que dá ideia do luxo que foi o bairro no passado. 

Palácio Violeta, São Paulo.


E você, que programas gosta de fazer na cidade de São Paulo ? Deixe aí, nos comentários, suas dicas.


Se você quer economizar em SP, não pode perder o post Passeios baratos perto do metrô de São Paulo do blog Viajante Econômica. 



Por ainda estarmos atravessando um momento de cautela por causa do Covid-19 e suas variantes, é importante verificar se cada um desses lugares está funcionando e quais as medidas de segurança foram estabelecidas. 


                                                          FOTOS : J.C. ALVAREZ     









  1. Que post mais completo e interessante!!! Você é a carioca mais paulistana que conheço. Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Quenia
      Amo SP e já visitei a capital inúmeras vezes. Ouvir um elogio desse de uma paulistana me deixa muito feliz, beijocas

      Excluir
  2. Amei !!! sabe que sou de SP e não conheço metade da cidade??? kkkk o Museu das rosas, sala são paulo, eu nunca nem passei perto, mas adorei saber o que fazer no final de semana em Sâo Paulo, às vezes a gente recebe visita e não sabe onde levar kkkkkk agora já sei !!1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nathalia, aproveita que gostou do post e vá visitar essa cidade tão vibrante. Beijocas

      Excluir
  3. Uau Lilian, que fantástico!!! 12 Passeios Incríveis para curtir em Final De Semana em São Paulo! São atrativos incríveis! Há mais de uma década não visto SP capital e estou vendo pela sua lista que tenho que voltar logo e curtir tantos atrativos bacanas que perdi! Eu quero muito conhecer a Fundação Ema Klabin, Mercado de Pinheiros e o Municipal, Casa das Rosas, a Estação da Luz, Teatro Municipal e Farol Santander. Obrigada pelas dicas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando for terá muitas novidades pra curtir. Nós continuamos t
      orcendo para podermos revisitar esses lugares. Por enquanto é sempre uma incógnita se estará aberto ou não. beijocas

      Excluir
  4. Passamos 15 dias em São Paulo e não deu pra ver nem metade dessa lista. Adorei esses 12 passeios que você reuniu aqui porque muita coisa eu nem conhecia e com certeza vale incluir no roteiro por lá, seja para um fim de semana ou por mais tempo. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade num fds fica puxado pois são muitas opções,beijocas

      Excluir
  5. Amo passear em São Paulo e achei esse post super completo! Um dos meus programas favoritos é passear pela Paulista e dar uma paradinha na Livraria Cultura (meus filhos amam!) Dessa lista não conheço a Fundação Ema Klabin, o Instituto Tomie Ohtake e o Farol Santander (este já planejamos ir algumas vezes e sempre houve um imprevisto, está na lista faz tempo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro passear na Paulista e ver as novidades na Cultura também é um dos programas que mais adoro. O Farol Santander é um passeio excelente e aproveite para fazer outras coisas pelo centro. beijocas

      Excluir
  6. Fiquei orgulhosa da minha cidade! Adorei essa lista do que fazer em São Paulo, super completa e cheia de dicas. Eu AMO São Paulo e me surpreendo a cada visita à Paulista! Sem contar olhar para meu prédio favorito: Banespão (Farol Santander)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É para ficar orgulhosa mesmo pois SP é uma cidade incrível. O Farol Santander é um dos lugares que quero revisitar em breve. beijocas

      Excluir
  7. Moro em São Paulo há mais de 30 anos e confesso que não conheço tudo que está no seu roteiro. Caso dos museus do Futebol e da Imigração e da torre do Banespa, hoje denominado Farol do Santander. Muito completa a sua postagem. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei muito emocionada com a visita ao museu da Imigração. Quando puder visite esses 3 lugares e volte aqui para me contar. Beijocas

      Excluir
  8. As dicas são ótimas, o "post" está super explicatico. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  9. Lilian arrasou nessas dicas do que fazer em São Paulo em um final de semana. Percebi que não conheço quase nada da terra da garoa.hahahahaha

    ResponderExcluir
  10. Eu adorei suas dicas do que fazer em São Paulo. Tem alguns lugares que eu não conhecia. Que vontade de voltar!

    ResponderExcluir
  11. São Paulo é uma cidade que nos fascina, sempre estamos buscando conhecer um pouco cada vez que visitamos, amei suas dicas!

    ResponderExcluir

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search