SANTIAGO DO CHILE

Santiago do Chile


Santiago é uma cidade encantadora, limpa, segura, plana, com jardins e parques muito bem cuidados. De vários lugares é possível ver a Cordilheira dos Andes.





Nos hospedamos no bairro Providência, e escolhemos o hotel Neruda pelo site "booking.com", após lermos sugestões em vários blogs. A dica foi boa, pois o bairro é muito agradável, residencial, com ruas arborizadas e casarões antigos.

Ficamos próximos à estação de metrô [Pedro de Valdívia], restaurantes e comércio. O hotel Neruda fica em frente ao Centro Cultural Providência. Nosso quarto era no 2º andar, de frente para a rua, mas muito silencioso, graças às janelas duplas.

Hotel  Neruda


No check in recebemos o "Chile Tips Trips" - um periódico turístico trilingüe [inglês, espanhol e português] -, que apresenta a cidade ao turista, falando de cada bairro e seus principais atrativos. O jornal também contém mapa da cidade e adjacências, além de informações sobre o sistema de transporte: metrô, táxi, ônibus.









Merece destaque o café da manhã servido no saguão. Todos os dias havia 2 tipos de suco; diferentes pães doces e salgados; queijos; frios; bolos e frutas, tais como: cereja, abacaxi, uva, pêssego, melões verde e laranja [super docinhos].

Saguão do hotel 

Saguão do hotel


Sempre que chegamos a uma cidade, nossa primeira providência é passear pelo entorno para nos localizarmos. O bairro é muito tranquilo e, com o calor que enfrentamos, nada melhor do que caminhar por essas ruas arborizadas.








Na mesma rua do nosso hotel estava o Hotel Orly, e, embora fosse bem menor, nos pareceu um lugar muito agradável para hospedagem.




Passeando pelo bairro, descobrimos um hotel lindo e super charmoso, que deve ser um luxo só: La Rêve Hotel Boutique, localizado na rua Orrego Luca, 23.





Nessa mesma rua, um prédio "ao estilo parisiense" todo revestido de hera.




Dois quarteirões à direita do nosso hotel estava o rio Mapocho, que atravessa a cidade e serve como referência de localização. As avenidas, que o ladeiam, são largas, arborizadas e convidativas a uma boa caminhada e corrida ou a um passeio de bicicleta.





  



Em uma de nossas caminhadas, pela pista ao lado do rio Mapocho, demos de cara com essa árvore lindinha,as flores amarelas parecem pompons.  






Estando às margens do rio Mapocho, não deixe de conhecer o Parque das Esculturas, localizado no bairro Providencia, entre as pontes Pedro de Valdívia e Nueva de Lyon
No Parque, encontram-se espalhadas - entre jardins, canteiros e caramanchões - 30 esculturas bem diferentes e de cores fortes. É um lugar muito interessante!










Ainda em nosso 1º dia de viagem, pegamos o metrô e fomos conhecer o Mercado Central [vários restaurantes], a antiga estação ferroviária - atualmente Centro Cultural Estação Mapocho-, o Parque Florestal e o Cerro Santa Lucía.


Centro Cultural Estação Mapocho

Mercado Municipal


Para fazer esse passeio, se você estiver no bairro Providência, pegue o metrô na estação Pedro de Valdívia [linha vermelha] e desça na estação Universidade de Chile. Aproveite para apreciar, nas paredes dessa estação, a belíssima pintura mural, que ilustra a história da cidade.






As estações BaquedanoBelas ArtesSanta Lucía e La Moneda, também, apresentam obras de arte. 


* Peça, na recepção do hotel, o mapa da cidade. No verso, tem o mapa do metrô.

É muito fácil circular de metrô pela cidade e a linha vermelha é a que o turista usará com maior frequência.


* Como chegar ao hotel?

Saímos do RJ com o firme propósito de contratar o serviço da Transvip, empresa sugerida em vários blogs de viagem, para o transfer do aeroporto ao hotel.
Acabamos fazendo esse deslocamento aeroporto/hotel/aeroporto de táxi, que nos cobrou 12 mil pesos, mesmo valor que pagaríamos na Transvip.
Utilizamos táxi em outras duas situações [retorno de shoppings] e fomos bem atendidos.


* Dinheiro
  
No aeroporto, trocamos real pelo peso chileno [na AFEX ], apenas o suficiente para o táxi e um lanche. No 1º dia, fomos à AFEX do centro trocar mais dinheiro e, no meio da semana, trocamos novamente em uma casa de câmbio próxima do hotel [melhor cotação de todas, sem cobrança de taxas]. Essa casa de câmbio fica em frente ao hotel Orly, na mesma rua do Neruda.

* Viagem  

Essa foi nossa primeira viagem ao Chile e a segunda por milhagem. Nessa época, foram necessárias 10 mil milhas por trecho para destinos na América do Sul. Foi muito fácil reservar avião. Acho que no mês de Janeiro as pessoas preferem cidades litorâneas.


Fotos: J.C. ALVAREZ


Leia também:

Vinícola Concha y Toro
Passeando por Santiago Parte 1
Passeando por Santiago Parte 2
Valparaiso e Viña Del Mar

Nenhum comentário