PORTO SEGURO BATE E VOLTA

Em nosso 3º dia de viagem fomos finalmente rever Porto Seguro depois de 21 anos.
 Não aprecio muito a cidade em si, mas as praias, além de bonitas, estão bem cuidadas e o Centro Histórico não pode deixar de ser visitado.  

Aquela ponta é a praia de Apaga Fogo em Arraial d'Ajuda.



 Porto Seguro é a cidade onde nossa história começou, pois foi onde os portugueses desembarcaram ao chegar ao Brasil pela 1ª vez. É o mais antigo povoado brasileiro.
Porto Seguro ganhou o título de Monumento Nacional em 1973 e em 2000. E no ano em que comemoramos os 500 anos de Descobrimento do Brasil, foi reconhecida como Patrimônio Natural da Humanidade.

O Centro Histórico fica numa região alta da cidade e de lá se tem uma visão privilegiada do rio e do mar, o que na época era muito importante para a defesa da cidade.
Assim que chegamos, fomos abordados por um guia credenciado que nos acompanhou na visita, ao final pediu uma contribuição. Um bom guia de viagem sempre acrescenta muito a um passeio mas nem sempre é essa a experiência que temos. No entanto, precisamos viver para depois avaliar e no nosso caso, nesse passeio, não achamos que acrescentou. 

Logo no início vemos a vila de casinhas. Aliás, todo povoado começava assim: uma igrejinha e casinhas ao redor. O guia nos contou que as casas eram coloridas, pois elas não tinham numeração e a cor era o que as identificava.



Existem 3 igrejas nesse Centro: 

. a dos negros, Igreja de São Benedito.



Ao lado da igreja estão as ruínas do Colégio Jesuítico.




Os jesuítas chegaram ao Brasil em 1549 e foram os responsáveis pelas primeiras escolas no Brasil. Com a expulsão dos jesuítas em 1759, algumas dessas escolas entraram em decadência.

. a igreja dos ricos e brancos, Igreja de Nossa Senhora da Pena. [é Pena mesmo]



Ao lado da igreja tem um pequeno cemitério onde os ricos eram enterrados. Depois de um tempo, os ossos eram levados para dentro da igreja, e o local, onde eram depositados, obedecia ao seguinte critério: aqueles que mais tivessem contribuído com dinheiro para a igreja ficavam mais próximos ao altar.


. Abaixo, o Museu de Arte Sacra que funciona na Igreja que os brancos pobres frequentavam.


Essa foi a 1ª cadeia. O guia nos contou que as celas ficavam no 1º andar, de frente para o mar, para que os navegantes fossem "torturados psicologicamente", já que viam o mar de onde tinham vindo e pra onde não iriam voltar.


A Casa de Câmara e Cadeia são de 1756 e é onde funciona o Museu da Cidade de Porto Seguro.

Do Mirante vemos duas diferentes cores de água: a mais escura é do rio e a mais clara é do mar.




O Marco do Descobrimento [de mármore] foi colocado aí pelos portugueses, para demarcar a posse de Portugal.




O Farol marca a entrada do canal formado por recifes que separam o mar do rio Burunhaém.


Também encontramos no Centro Histórico de Porto Seguro algumas lojinhas de artesanato.



Casas particulares enfeitam ainda mais o Centro Histórico.




Em mais ou menos 2 horas é possível visitar o Centro Histórico de Porto Seguro.

Na saída fizemos uma visita à Flora Quyriri, [fica quase em frente], um lugar com uma grande variedade de plantas.







Saímos de Porto Seguro ainda na parte da manhã e fomos para Santa Cruz de Cabrália.  [ próximo post ]





FOTOS : J.C. ALVAREZ 





Leia Tambem



Nenhum comentário