19 junho 2020

FLORESTA DA TIJUCA NO RIO DE JANEIRO : DICAS DO QUE FAZER

FLORESTA DA TIJUCA NO RIO DE JANEIRO : DICAS DO QUE FAZER


Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro : Dicas do que fazer.


A Floresta da Tijuca, no Rio de Janeiro, é daqueles pontos turísticos que reúne história e natureza encantando os visitantes. Veja, nesse post, as dicas do que fazer nesse passeio.


O mundo está vivendo um momento difícil e delicado, e os impactos dessa pandemia ainda não podem ser dimensionados. Todos fomos afetados de formas e intensidades diferentes. O turismo, setor de grande importância para a economia de cada cidade, estado e país, sofreu um baque enorme. Aos poucos, todos irão se reinventar e uma tendência será fortalecer o turismo doméstico, ou seja, o turismo que envolve os moradores do próprio país.

Vamos recomeçar curtindo as belezas da cidade onde moramos e eu, que sou carioca da gema, destaco no Rio de Janeiro entre tantas lindas atrações, um local imperdível : a Floresta da Tijuca. Localizada no Alto da Boa Vista, bairro da zona norte da cidade, é considerada uma das maiores florestas urbanas do mundo e é um "oásis" no clima quente do Rio.

Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro - Um pouco da história


O clima agradável da floresta atraiu, em meados do século XVIII, fazendeiros que ali instalaram suas fazendas. A derrubada de árvores, a extração da madeira, o cultivo da cana de açúcar e do café afetou muito os mananciais de água provocando um problema no abastecimento da cidade.
D.João VI, em uma atitude pioneira, estabeleceu em 1817, um decreto de proteção a nascente do rio Carioca. Em 1861, D. Pedro II ordenou a desapropriação de várias áreas para que se iniciasse o reflorestamento da região. Dois nomes se destacaram nesse empreendimento :  Major Archer e Barão d'Escragnolle. Assim, a Floresta da Tijuca foi a primeira floresta a receber um projeto de reflorestamento desse vulto.
Como vocês podem ver, a história da Floresta da Tijuca e o Brasil Império estão intimamente ligados.


 Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro - Dicas do que fazer 


A Floresta da Tijuca é um dos quatro setores que compõe o Parque Nacional da Tijuca. Passear por essa imensa área é uma oportunidade de apreciar natureza de exuberante beleza. Lá é possível desfrutar tanto de programas tranquilos de lazer quanto outros mais radicais como escaladas. O visitante encontrará caminhos pavimentados, sítios históricos, cachoeiras, lagos artificiais, mirantes, grutas, trilhas, áreas de lazer, centro de visitante, restaurante e rica fauna e flora.


Setores do Parque Nacional da Tijuca na foto do site www.rioaqui.com

Como é o passeio pela Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro 



Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro : Dicas do que fazer.
Principal portão de entrada da Floresta da Tijuca. Acesso gratuito.


Cascatinha Taunay

A Cascatinha, bem perto do portão de entrada, é a primeira parada e, portanto, é ela que dá as boas vindas aos que chegam para visitar a Floresta da Tijuca. Com 35 metros de altura, é a maior queda d'água da Floresta. Seu nome é uma homenagem ao pintor francês Nicolas Taunay que chegou ao Brasil com a Missão Francesa de 1816. Ele construiu uma casinha bem ao lado da cascatinha e a retratou em várias pinturas. Essa casa foi demolida e em seu lugar tem um restaurante que está em reforma.

Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro : dicas do que fazer.
Cascatinha Taunay na Floresta da Tijuca.

No Largo da Cascatinha, está a Fonte do Vaso, em ferro fundido, que provavelmente
 foi colocada ali na administração de Castro Maya.

Em frente à Cascatinha há uma ponte de pedra em formato de arco romano, construída em 1863 para facilitar o acesso à floresta. As águas da Cascatinha passam por baixo dessa ponte e formam uma espécie de poço onde, então, as pessoas podem se banhar.

Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro : dicas do que fazer.
Poço da Cascatinha Taunay, Floresta da Tijuca. 

Cruzando a ponte, a esquerda, há estacionamento e banheiros. Nessa área podemos ver um mapa da Floresta da Tijuca em painel de azulejos e embaixo uma banheira em mármore de carrara.

Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro : dicas do que fazer.
Mapa da Floresta da Tijuca em painel de azulejos.

Acredita-se que banheiras e fontes encontradas em diversos pontos da Floresta da Tijuca sejam provenientes de demolições feitas para a construção da avenida Presidente Vargas.

Capela Mayrink 

A singela capelinha foi construída em 1850 nas terras da Fazenda Boavista, e se chamava Nossa Senhora do Belém. Mais tarde, foi vendida para o Conselheiro Mayrink e passou a ser conhecida com o nome atual. Em 1943, após obras de reforma, ganhou jardins de autoria de Burle Marx. 
Os painéis de Portinari, que estão em seu interior, são réplicas enquanto os originais estão no MNBA. Nos nichos laterais, estátuas da Caridade e da Fé são oriundas de uma igreja do centro da cidade que foi demolida quando da construção da avenida Presidente Vargas.

Capela Mayrink na Floresta da Tijuca.
Capela Mayrink

A estradinha segue cercada pela floresta com mata tão densa que nem sempre se vê o céu. Algumas vezes um rio margeia o caminho e é constante a presença de pássaros e micos. Já os quatis circulam tranquilamente e ficam bem animados à procura de alimento onde tem latas de lixo.

Centro de visitantes

No centro de vistantes se destaca a escultura - "Escravo"- de autoria da artista plástica Mazeredo. É uma homenagem aos escravizados que trabalharam no reflorestamento da Floresta da Tijuca.



Monumento aos escravos no centro de visitantes da Floresta da Tijuca


Quase em frente ao centro de visitantes, há uma área de lazer com brinquedos de madeira, mesas e  bancos de cimento onde é possível fazer piquenique e, até mesmo, churrasco. Muito comum vermos famílias com crianças aproveitando esse espaço.

Restaurante A Floresta 

Nessa casa funcionou o restaurante A Floresta, construído onde, no passado, ficava a senzala do Sítio Midosi. Também serviu de senzala para os escravizados que trabalharam com o Major Archer, responsável pelo trabalho de reflorestamento da Floresta da Tijuca.
Na época do Império, a Floresta da Tijuca, devido ao clima, abrigava chácaras, sítios e fazendas que foram desapropriadas para dar início ao replantio de espécies da mata Atlântica.

Restaurante A Floresta na Floresta da Tijuca.




Fonte Midosi na Floresta da Tijuca.
Bem próximo, está a Fonte Midosi e algumas ruínas do que foi a propriedade de Gulherme Midosi, um dos cafeicultores da época.

Vista do Almirante


Esse mirante é parada obrigatória pois a vista é sensacional. A Pedra da Gávea e a Pedra Bonita, que se destacam na paisagem, fazem parte de outro setor [ setor C ] que compõe o Parque Nacional da Tijuca. O mirante foi construído pelo Barão de Escragnolle, administrador da Floresta da Tijuca, que deu continuidade ao trabalho de reflorestamento iniciado pelo Major Archer.


Vista do Almirante na Floresta da Tijuca.



Grutas 

Para conhecer as várias grutas da Floresta da Tijuca é aconselhável o acompanhamento de um guia que saberá os caminhos, cuidados e acessibilidade. Eu fiz uma rápida visita à uma gruta que fica próxima à Vista do Almirante e à estrada de circulação.

Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro : dicas do que fazer.

Restaurante Os Esquilos

Essa linda casa foi a residência do Barão de Escragnolle e, depois de reformas passou a abrigar o charmoso restaurante Os Esquilos, que ali funciona desde 1945. Um cozinheiro italiano, Hugo Busca, oriundo de Turim, obteve do presidente Getúlio Vargas a concessão para abrir o restaurante na Floresta da Tijuca. Até hoje é a mesma família que administra o restaurante. Com belíssimos jardins e em uma atmosfera romântica, o restaurante funciona para almoços e eventos.

Restaurante Os Esquilos na Floresta da Tijuca

Jardim das Manacás

Essa linda estátua é a Fonte Wallace, doada pelo governo francês e colocada nesse recanto da Floresta da Tijuca na administração do Barão Escragnolle. Nesse local existiam pés de manacá e, por isso, essa área é conhecida como Jardim das Manacás. Dizem que a Imperatriz  Leopoldina se reunia com amigas e damas de companhia para tomar chá. Será ? Imagina a trabalheira !

Fonte Wallace no Jardim dos Manacás.
Fonte Wallace no Jardim dos Manacás.


Essa fonte foi desenhada por um inglês, esculpida por um francês e fundida em uma cidade francesa. As 4 estatuetas de mulheres representam a Bondade, a Caridade, a Sobriedade e a Simplicidade.

Açude da Solidão

Localizado bem próximo ao portão de saída, o Açude da Solidão era uma área pantanosa, que após obra de represamento das águas de um rio, se transformou em açude. Seu nome revela a triste história de um pai, o Barão do Bom Retiro, que se isolava nesse lugar, abatido, pela perda de seu filho na Guerra do Paraguai. Na gestão de Castro Maya recebeu uma melhoria, com projeto do paisagista Burle Marx.

Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro : dicas do que fazer.
Açude da Solidão

Três administradores da Floresta da Tijuca merecem destaque. O primeiro foi o Major Archer que iniciou o trabalho de reflorestamento; o segundo foi o Barão Escragnolle que não só deu continuidade ao trabalho, como, também construiu importantes equipamentos e o outro foi Raymundo Castro Maya que atuou de 1943 a 1946. Em sua gestão, Castro Maya fez muitas reformas, construções e reconstruções fundamentais para termos uma Floresta da Tijuca da forma como ela é hoje. Sua admirável contribuição pode ser conhecida no site www.riodejaneiroaqui.com.

Parque Nacional da Tijuca foi criado em 1961 e tem uma gestão compartilhada entre ICMBio [ Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade], o Governo do Estado e a Prefeitura do Rio de Janeiro.

Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro : Como chegar

# A forma mais fácil de chegar à Floresta da Tijuca é de carro, o que, também lhe dará autonomia para fazer o passeio no seu ritmo, parando nos pontos de maior interesse. A indicação é subir o Alto da Boa Vista, bairro onde fica a entrada principal [ Praça Afonso Viseu].

# No site do Parque Nacional da Tijuca há orientação de como chegar usando ônibus. 

# Algumas empresas oferecem passeios de jeep por pontos turísticos do Parque Nacional da Tijuca incluindo a Floresta.

# Há também tour de grutas, tour de cachoeiras ou trilhas acompanhados por guias.


Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro - Informações práticas :




Pracinha do Alto da Boa Vista
Praça Afonso Viseu/Pracinha do Alto.


Entrada
: O Portão de entrada da Floresta da Tijuca fica na estrada da Cascatinha 850, atrás da Praça Afonso Viseu, mais conhecida como Pracinha do Alto.
Preço: O acesso é gratuito e pode ser feito de carro.
Horário de Funcionamento :  8h às 17h.
Banheiros : no Centro de Visitantes e no estacionamento em frente à Cascatinha Taunay.
É indicado levar repelente, água, lanche e usar calçado confortável

É aconselhável fazer o passeio de carro pois há trechos de subida e os pontos de interesse são distantes uns dos outros. Há empresas que levam os visitantes para fazer um tour de jeep e outras se especializam em roteiros específicos como tour de grutas, cachoeiras e trilhas. 


Bem próximo ao portão de saída da Floresta da Tijuca está o Museu do Açude, um lugar encantador e não muito conhecido mas que vale a pena ser incluído no passeio. Nesse museu, que foi a casa de veraneio de Raymundo Castro Maya, há um pequeno, mas belo, acervo de arte oriental e azulejaria, além de ser um incrível espaço no meio do verde da floresta. 


Como você viu o Rio de Janeiro não é só praia, é muito mais ! Vem pro Rio, você também.


Blogagem Coletiva :
Esse post faz parte da Blogagem Coletiva com o tema Turismo Doméstico, #turismodomestico. Tem muitas sugestões legais pelo Brasil. Conheça os posts dos blogs participantes :

1] Mai Viagens- 7 Motivos para visitar Aracaju

2] Expedições em Família- Circuito Turístico Lagoa da Pampulha- o que fazer no cartão postal de Belo Horizonte

3] 6 Viajantes- Campo de Girassol em Brasília! Um lugar para lindas fotos!

4] Vamos Viajar pra onde agora- Conhecendo o Real Gabinete Português

5] Viajante Econômica- Baixada Santista : o que fazer em São Vicente

6] Família que Viaja Junto- Onde comprar artesanato no Vale do São Francisco

7] Viaje24h- Serra do Rio do Rastro: O guia definitivo de uma das estradas mais espetaculares do mundo.

8] Sentidos do Viajar- Lago Paranoá, mar de Brasília- 15 atrações imperdíveis



                                                  FOTOS : LILIAN AZEVEDO 






  1. Lilian, parabéns pleo seu post sobre dicas da Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro, esse é mesmo um passeio maravilhoso, entramos em contato direto com a natureza. eu adoro!!!

    ResponderExcluir
  2. Deyse Marinho de Abreu19 de junho de 2020 16:28

    Oi Lilian! Estou encantada com o seu texto "FLORESTA DA TIJUCA NO RIO DE JANEIRO : DICAS DO QUE FAZER". Eu não imaginava que a Floresta da Tijuca proporcionava tantos atrativos, e atrativos incríveis assim. Amei o informe histórico, isso faz muita diferença para mim, quando vou selecionar os pontos turísticos que quero conhecer! E quero muito conhecer a Floresta da Tijuca, obrigada por seu lindo texto!

    ResponderExcluir
  3. Quantas histórias e curiosidades sobre a Floresta da Tijuca. Com certeza um lugar imperdível no Rio de Janeiro. Acha que em um dia é suficiente pra aproveitar todas essas dicas do que fazer ou é necessário reservar mais tempo?

    ResponderExcluir
  4. Lilian! Que maravilha de post: FLORESTA DA TIJUCA NO RIO DE JANEIRO : DICAS DO QUE FAZER. Fui tantas vezes ao Rio e sou apaixonada pela cidade. Agora em minha próxima visita, após a pandemia, com certeza a floresta da Tijuca estará no roteiro! Obrigada!

    ResponderExcluir
  5. Nunca imaginei que a Floresta da Tijuca era tão interessante assim! Além da beleza natural, o local tem outros atrativos! Amei as dicas do post! Vou incluir esse parque na minha próxima visita ao Rio de Janeiro!

    ResponderExcluir
  6. Que maravilha de lugar, um patrimônio natural essa Floresta da Tijuca! Ja visitei várias vezes, mas acabo de descobrir, com a riqueza de seu artigo e as dicas do que fazer, que faltam muitas coisas para ver. Não sabia que tinham grutas por lá, nunca entrei na Capela Mayrink e amei saber dos Jardins de Burle Marx. Morando em Brasília, aprendi a amar suas maravilhosas obras aqui e mundo afora. Vou voltar!!!

    ResponderExcluir
  7. Adorei. E esse deve ser um destino bem procurado depois da pandemia. Em meio a natureza...sem aglomerações. Amei! quero conhecer a floresta da Tijuca

    ResponderExcluir

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search