01 fevereiro 2016

MUSEU DO AÇUDE NO RIO DE JANEIRO


O Museu do Açude no Rio de Janeiro, fica numa estrada sinuosa, em meio a uma profusão de tons de verde da Floresta da Tijuca. A bela propriedade abriga o museu que é visita imperdível para quem deseja fazer um programa diferente na cidade. 



Museu do Açude no Rio de Janeiro.




O Museu do Açude foi a casa de verão de Raymundo Ottoni de Castro Maya, grande empresário brasileiro e defensor da preservação do patrimônio histórico. Sua residência em Santa Teresa também foi transformada em museu e vale uma visita : Museu Chácara do Céu.

Foi só estacionar o carro e me deparar com uma fonte e o painel de azulejos, em meio ao jardim, para perceber que eu ia gostar desse lugar. É que adoro casas antigas com história. Imediatamente, a imaginação corre solta e me transporto no tempo para a vida naquela época.



Museu do Açude no Rio de Janeiro.
Museu do Açude no Rio de Janeiro.
No caminho do estacionamento para o museu passamos por uma pequena propriedade, tipo uma administração, em cuja varanda havia uma grande quantidade de cerâmicas. Um gentil funcionário nos convidou a entrar, ao mesmo tempo, em que nos contou que todas eram cerâmicas portuguesas. Anteriormente ficavam ao ar livre em diferentes partes do jardim ou nos muros, mas, para preservação, foram deslocadas para a varanda dessa casa, dentro da propriedade.



Museu do Açude no Rio de Janeiro.
Nesse painel está a figura do "Alabardeiro", que é o sentinela que guarda o paço, o arqueiro.

Ainda nesse prédio, onde se adquire o ingresso, há alguns materiais da Companhia Carioca Industrial, da qual Raymundo Castro Maya foi proprietário,e que produzia a "Gordura de Coco Carioca", um ingrediente muito usado para o preparo de alimentos.


Gordura de Côco Carioca.
Gordura de Côco Carioca. 

Na propriedade tudo merece ser apreciado, então, antes de entrar no museu vale um passeio de exploração : jardins, portões, flores, piscina, pias com torneiras em bronze e o que mais você descobrir.
Jardins do Museu do Açude no Rio de Janeiro.

Piscina do Museu do Açude
Imagine um mergulho nessa piscina em dias de verão. 




Museu do Açude no Rio de Janeiro.
Casa principal do museu em estilo neocolonial
Veja o detalhe dos telhados com beirais de telhas em louça policromada. 



O uso de azulejos é uma marca forte da Colonização Portuguesa. No Museu do Açude, veremos esse tipo de revestimento em áreas internas e externas.

No térreo, a sala de jantar está arrumada, como era na época que seu ilustre morador alí residia, com cristais franceses e prataria inglesa. As paredes revestidas com painéis em azulejos portugueses complementam o requinte do ambiente. 
Dizem que Raymundo Castor Maya era um anfitrião sofisticado e adorava organizar jantares e festas onde acompanhava todos os detalhes do cardápio à louça que seria usada.



Sala de jantar do Museu do Açude no Rio de Janeiro.



Castro Maya herdou de seu pai o apreço por obras de arte e ao longo de sua vida teve um papel de mecenas. Além de colecionador de artes, foi também empresário, desportista e editor de livros. Pouco a pouco, construiu um acervo de 22 mil peças entre livros, gravuras, desenhos, quadros, louças e objetos de arte. Grande parte exposta tanto no Museu do Açude, sua casa de veraneio, como no Museu da Chácara do Céu, sua residência.  

Museu do Açude no Rio de Janeiro.
Na sala principal se destacam esses pássaros em bronze os "grous" da Dinastia Tang. A coleção de arte oriental é considerada a maior e mais importante de acervo público brasileiro.


A sala conta, também, com uma lareira holandesa, de 1647.


Museu do Açude no Rio de Janeiro.


As pinhas de cristal eram chamadas de"bolas de escada" e serviam de ornamentação em escadas e jardins. 


Museu do Açude, Rio de Janeiro.


 No segundo andar, poucas peças expostas, nos pareceu um espaço de catalogação ou de reserva técnica mas vale dar uma olhada.

Depois de visitarmos a cozinha, voltamos aos jardins que interligam os diferentes prédios do museu. 

Jardim do Museu do Açude no Rio de Janeiro.


Abaixo o Jardim de Inverno que é decorado com "azulejos portugueses, no estilo D.Maria I, do início do século XIX, provenientes da cidade de Alcântara, no Maranhão".
[ trecho retirado do livro comemorativo dos 50 anos do Museu do Açude]   


Museu do Açude no Rio de Janeiro.
Jardim de Inverno

Museu do Açude no Rio de Janeiro.
Painel no Jardim de Inverno
Nos jardins, mais uma vez, podemos ver os desenhos e coloridos dos azulejos em bancos e painéis, enfeitando, de forma delicada, e trazendo um realce todo especial a cada uma dessas peças. 

Museu do Açude no Rio de Janeiro.
Museu do Açude no Rio de Janeiro.

Museu do Açude no Rio de Janeiro.






Museu do Açude no Rio de Janeiro.





Museu do Açude no Rio de Janeiro.



E o que dizer desse banco em ferro no estilo art-decô ? 



Museu do Açude no Rio de Janeiro.





Na minha opinião essa fonte é a "estrela" do jardim. 




Museu do Açude no Rio de Janeiro




Na década de 40, à convite do prefeito Henrique Dodsworth, Castro Maya coordenou a remodelação da Floresta da Tijuca. Ele aceitou essa tarefa dando início à reformas de estradas, restaurantes, áreas de lazer e outras edificações. 


Raymundo Castro Maya.
Foto do site www.conhecendomuseus.com.br

 " Meu desejo era mostrar ao público o que é um parque nacional; a Floresta da Tijuca seria o exemplo em miniatura do que 
se poderia fazer em todo o país, aproveitando as belezas naturais 
e defendendo-as da "civilização" que entra com o machado devastador, derrubando as matas e aproveitando o humo da terra 
para pouco depois abandoná-la."
[ trecho retirado do livreto Museu do Açude/Arte/Cidade e Natureza produzido por ocasião da comemoração dos 50 anos do Museu].

Cabe dar destaque ao fato da não remuneração de Castro Maya para essa tarefa, condição que colocou para aceitar assumir o cargo. 

Para nos despedirmos ficamos com essa incrível vista da Pedra da Gávea.


Pedra da Gávea vista do Museu do Açude.
Pedra da Gávea vista do Museu do Açude. 


Na saída, comentamos com um funcionário nosso encantamento com o museu e ele nos disse para voltarmos outro dia com roupas de ginástica, repelente e protetor solar para uma caminhada, pois há uma trilha que liga o Museu à Capela Mayrink, na Floresta da Tijuca

Nossas fotos não dão conta de mostrar a beleza dessa propriedade.
Um museu dentro de uma floresta realmente é um passeio completo :arte, arquitetura e natureza. 

Museu do Açude fica na Estrada do Açude 764, no bairro do Alto da Boa VistaRio de Janeiro.   
Ingresso: 6 reais por pessoa, e na quinta feira a entrada é franca.
Horário : diariamente de 11:00 às 17:00 exceto 3ª feira.
Tem estacionamento gratuito.

FOTOS: J.C. ALVAREZ



Leia Também:

2017
Búzios
Cabo Frio
Nova Friburgo
Rio de Janeiro

2016
Nova Friburgo
Paraty

Rio de Janeiro

2015
Paraty

Rio de Janeiro


2013
Búzios
Rio de Janeiro
  1. Que lindo! Nem sabia da existência desse museu! Adoro esses detalhes em azulejos do tipo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também adoro esses trabalhos com azulejos.Raymundo Castro Maya tem outro museu que foi sua casa a "Chácara do Céu" em Santa Tereza,no RJ.

      Excluir
  2. AMEI esses azulejos!!! Que bom que eles preservaram esses resquícios lindos da colonização portuguesa! E a visita ainda é baratinha, não tem motivo para não ir!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindos né,Nini Ferrari ? Quando vierem ao Rio não percam ! Tem também a Chácara do Céu em Santa Tereza que era casa dele.

      Excluir
  3. Gente e esses azulejos? Quero todos! :/ Muito lindo.

    ResponderExcluir
  4. Muito show esse museu!! E amoooo esses azulejos!! Bjooo

    ResponderExcluir
  5. Que coisa linda! Nunca tinha ouvido falar! As peças me lembram um pouco do museu do ipiranga, aqui em sp! Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guaci, da próxima vez que for a SP vou visitar esse museu e o da Imigração.

      Excluir
  6. Lindo. Como eu nunca soube desse lugar????? Quero ir!!! Anotando em 3, 2, 1.... BjO!!! Paula

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paula, vem pro Rio que levamos você, Naiá,Cyntia e Flora para passear por esses lugares.beijos

      Excluir
  7. Surpreendente, o Rio de Janeiro tem destas coisas de se mostrar aos poucos e encantar mais ainda aos visitantes, excelente relato e fotos, espero ver com meus próprios olhos. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glacy quando vier ao RJ me avisa que eu me organizo pra ir com vc.

      Excluir
  8. Que lindo este lugar! Adorei a dica! :)

    ResponderExcluir
  9. Olha acho que nunca tinha ouvido falar nesse museu!! Boa dica!! Bjs!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é pouco divulgado,e a outra residência dele é a Chácara do Céu em Santa Teresa no RJ.

      Excluir
  10. Lilian, fiquei encantada com esse museu! E os azulejos? Amorrrr... <3
    Já vou colocar na minha listinha do Rio - já tenho viagem marcada pra lá! \o/

    ResponderExcluir
  11. Que maravilha de post, me senti em Portugal com tantos azulejos maravilhosos. Tenho que visitar logo! Gostei muito do seu empenho em mostrar bastante deste lindo museu, que era desconhecido para mim. Parabéns!

    ResponderExcluir
  12. Adorei sua dica, não sabia da existência desse museu. Já coloquei na minha lista para visitar. Valeu!

    ResponderExcluir
  13. Lilian, que lugar lindo! Adorei os azulejos.

    ResponderExcluir
  14. Nunca tinha ouvido falar deste museu, uma aula de história colonial, perfeito para levar nossos filhos! Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  15. Gente, eu nunca tinha ouvido falar desse museu! Que pecado! Simplesmente apaixonado pelo Museu do Açude. Realmente, é uma verdadeira viagem no tempo! Encantado com tanta história e beleza!

    ResponderExcluir
  16. Que dica de passeio maravilhosa no Rio de Janeiro. Eu amo museus e este sobre o açude parece ser incrível. Já estive no RJ várias vezes, já passeei muito por lá, mas nunca fui neste Museu. Estou encantada pelos azulejos, eu amo estes ladrilhos decorativos. Mais um atrativo que falta pra conhecer no RJ. Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  17. Visitei o Museu Chácara do céu há pouco tempo e fui buscar informações sobre o Museu do Açude no Rio de Janeiro. Cheguei aqui e fiquei maravilhado com as imagens e consegui colher bastante informação para visitar em breve.

    ResponderExcluir
  18. Que lindo esse museu do Açude! realmenete o Rio tem lugares que nao conhecemos e q valem a pena ser visitados. ja esta na minha lista ;)

    ResponderExcluir
  19. Não conhecia o Museu do Açude no Rio de Janeiro e amei conhecer. Vendo as fotos eu viajei na história e fiquei com muita vontade de conhecer. Obrigada por compartilhar tantos detalhes e características.

    ResponderExcluir
  20. Lilian querida, nunca fui a esse museu, acredita? Que coisa mias linda esses azulejos. Depois de ler seu post, vou marcar para conhecer o Museu do Açude. Que lugar encantador

    ResponderExcluir
  21. Que dica top. Obrigada por compartilhar sobre o museu do açude no Rio de janeiro. Eu quero conhecer. As suas fotos estão incríveis tbm

    ResponderExcluir
  22. Achei incrível o seu post sobre o Museu do Acude no Rio de Janeiro, eu nunca tinha ouvido falar sobre ele e fiquei encantada. Obrigada por me apresentar esse lugar. Quanto for ao Rio, com certeza vou visitar. Grata por isso.

    ResponderExcluir
  23. Gente, desconhecia totalmente o Museu do Açude. Além do acervo com essas pinhas de cristal e todo os objetos e mobiliários, ainda fica num lugar maravilhoso em pleno Rio de Janeiro, que privilégio!

    ResponderExcluir
  24. Nossa que incrível esse museu, eu não sabia que tinha um museu na Floresta da Tijuca! Parabéns pelo post e pela ideia de fazer esse registro, um ótimo passeio para quem está pelo Rio, que piscina hein?! Kkkk já me imaginei ali ! Kkk

    ResponderExcluir
  25. Adoro descobrir dicas de lugares que eu nunca tinha ouvido falar, como esse seu post sobre Museu do Açude no Rio de Janeiro. Como adoro conhecer lugares novos e diferentes, fico sempre procurando e esse seu post foi um achado. Adorei a dica.

    ResponderExcluir
  26. Eu não conheça esse Museu do Açude no Rio de Janeiro. Fiquei encantada não do com os azulejos como também com o lugar onde está localizado o museu. Amei essa dica!

    ResponderExcluir
  27. Fui tantas vezes ao Rio de Janeiro e nunca tinha ouvido falar no MUSEU DO AÇUDE. Que lugar gracioso, bonito e cheio de história! Já coloquei na minha lista pra conhecer na próxima viagem ao Rio!

    ResponderExcluir
  28. Lilian querida, você sempre me encanta com seu olhar e consegue passar essa sensibilidade nos seus posts.
    A viagem pelo museu através da sua ótica praticamente me teletransportou para dentro dele.
    Sabe essas visitas virtuais que estão na moda em tempo de pandemia, você já faz isso no blog com muita naturalidade, muito antes da pandemia, acredite!!
    Esse museu você sabe que eu já fui há muitos anos e nunca mais voltei, uma achado.
    obrigada por compartilhar
    Sou sua fã.
    beijos

    ResponderExcluir
  29. Que lugar mais lindo!! Ja tinha ouvido falar do museu do açude, mas não sabia de tantos detalhes. Seu post ta super completo. Adorei

    ResponderExcluir
  30. Nossa, esse museu me surpreendeu , nunca pensei que encontraria algo tão diferente assim no Rio de Janeiro. Já quero ir !

    ResponderExcluir

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search