JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO

Passeio pelo Jardim Botânico

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro é um oásis na zona sul carioca. Localizado em uma rua paralela à Lagoa Rodrigo de Freitas, essa imensa área verde é um bálsamo na vida do carioca e turistas. 



O bairro - que nos tempos coloniais abrigou fazendas, engenhos de açúcar e fábrica de pólvora - passou a se chamar Jardim Botânico por ser o lugar onde D.João VI fundou o 1º Jardim Botânico Brasileiro, em 13 de junho de 1808.

Na época, recebeu o nome de Real Horto e era de uso só da família real.
Em 1819, foi aberto ao público e passou a se chamar Real Jardim Botânico.


Inicialmente, o objetivo do Real Horto era aclimatar plantas trazidas de outros países. Aí, também, eram feitos estudos sobre as espécies que se adaptariam melhor ao nosso solo para serem plantadas e comercializadas como matéria prima ou transformadas em produtos.
 O objetivo de estudo e pesquisa de plantas sempre esteve presente. 
Em 1937, foi tombado pelo IPHAN.


O espaço do Jardim Botânico inclui o Museu do Meio Ambiente, o Museu-Sítio Arqueológico Casa dos Pilões, o Centro de Visitantes, o Espaço Tom Jobim, o Memorial Mestre Valentim, Biblioteca especializada em botânica e o restaurante La Bicyclete. 


Assim que passamos pelo portão de entrada, na rua Jardim Botânico, vimos, do lado direito, a casa que abriga o Museu do Meio Ambiente, 1º da América Latina dedicado ao tema.




O Centro de Visitantes fica na antiga sede do engenho Nossa Senhora da Conceição da Lagoa.



O centro é um espaço bem montado para oferecer aos visitantes informações sobre como conhecer melhor o espaço. Um mapa imenso de toda área do Jardim Botânico pode ser analisado antes da visita. Aí encontra-se disponível folder [português/inglês] com o mapa. Ainda tem uma lojinha com muitos souvenirs temáticos e de qualidade. Me apaixonei pelos postais do Rio.



Espaço Tom Jobim.



Ateliê de restauração de Obras do Mestre Valentim.


Mestre Valentim atuou como escultor e arquiteto no final do século XVIII no Rio de Janeiro, tendo sido responsável por fontes e chafarizes em espaços públicos e esculturas de arte sacra em igrejas.

Abaixo, as estátuas da ninfa Eco e do caçador Narciso que ficavam no Chafariz das Marrecas, em frente ao Passeio Público.
No ateliê, essas peças foram restauradas. Elas fazem parte do acervo do Jardim Botânico desde o início do século XX. 


Abaixo, um mapa indicando onde ficavam as obras de Mestre Valentim.



La Bicyclette é um bistrô super charmoso que serve café da manhã e almoço. Ao lado [à direita na foto] tem um jardim onde mesas protegidas por ombrelones criam um outro espaço para as refeições. 
Demos uma olhada no cardápio que oferece excelentes opções.
Comer nesse ambiente deve ser tudo de bom !



Você pode circular por toda essa área antes de comprar o ingresso para entrar no propriamente dito no Jardim Botânico


Abaixo, perfeitamente integrada ao ambiente, a obra da artista plástica Alice Pittaluga. Uma releitura do quadro "La Danse", de Henri Matisse.

A catraca de entrada está em frente à essa obra.


Escultura de Alice Pittaluga, homenagem a La Danse, de Henri Matisse.

O Jambeiro, árvore que dá o "jambo vermelho", deixa esse colorido 
forte em seu entorno.  


Meu marido tem paixão por ninféias.



O cactário tem uma das maiores coleções de cactos do Brasil.






Essas estufas foram remodeladas e reabertas com novas espécies de cactos.








"Abaixo o Cômoro, elevação adjacente ao lago que foi erguido com a terra retirada para a construção do mesmo. Tanto o lago quanto o cômoro foram projetados por Frei Leandro, 1º diretor do J.B., que costumava sentar à sombra da jaqueira dirigindo o trabalho dos escravos. Ali fez colocar uma grande mesa de granito, onde os príncipes herdeiros, primeiro D.Pedro I e, mais tarde D.Pedro II, faziam seus lanches.O Cômoro é encimado por um caramanchão, a chamada Casa dos Cedros." 
trecho retirado do site www.wikirio.com.br/Jardim_Botânico



O busto de Frei Leandro, 1º diretor do J.B. fica no caramanchão.


Caminhando pelas aléias, de vez em quando, encontramos um bebedouro desses. 






O calor, nesse dia, estava insuportável, mesmo na sombra. Por isso, interrompemos o passeio. O Jardim Botânico é muito grande e é necessário reservar uma tarde ou uma manhã para apreciá-lo devidamente.
Continuando o passeio, você ainda poderá visitar o Roseiral. Fomos até lá, mas estava em manutenção, sem uma única rosinha para vermos.
Tem também o Orquidário, Bromeliário, Estufa de plantas insetívoras, Coleção de plantas medicinais, Jardim japonês e muitas aléias interessantes. 


O Jardim Botânico fica na rua Jardim Botânico, 1008, no bairro de mesmo nome.
A entrada custa 9 reais e pessoas acima de 60 não pagam.

Para mais informações, veja o site do Jardim Botânico que é excelente e completo. Leia aqui



FOTOS: J.C. ALVAREZ




Leia Também:

12 comentários

  1. Adorei o post!
    Tenho loucura pra conhecer o Jd Botânico do Rio!
    Adoro esse tipo de passeio. O de São paulo é lindo e o de Curitiba também gostei muito.
    Já fui em alguns no exterior também e sempre é um passeio muito curtido pela família.
    Em Atlanta fiz um passeio um pouco diferente e fomos visitar o jd botânico de lá a noite, para ver as decorações de Natal. Voltei pensando que podiam fazer algo igual aqui no Brasil porque é bem mágico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma excelente ideia,nunca visitei um Jardim Botânico de noite e deve ser lindo.Tenho que visitar o de S.P. pois vou aí com certa frequência.

      Excluir
  2. Ah, um dos locais mais lindos do Rio. Sou apaixonada! <3

    ResponderExcluir
  3. Sempre tive paixão em conhecer, e , nunca deu certo. Quando estive no RJ , não deu tempo, foi tudo tão corrido....Que fotos mais lindas! Parabéns! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. boa desculpa para vir ao Rio, te levo lá. beijocas

      Excluir
  4. Suspiros! Adoraria conhecer esse lugar. Lindeza!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando vier ao Rio me avisa e eu te levo lá. beijocas

      Excluir
  5. Que passeio maravilhoso e diferente no Rio de Janeiro, onde todos querem ir às praias, ao Cristo Redentor e ao Pão de Açúcar. Dica especial para quem quer passar momentos de tranquilidade e contemplação, porque o lugar, pelas suas fotos, é lindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é um lugar lindo e nós não visitamos tudo por causa do calor, [46 graus] marcava um termômetro na rua.

      Excluir
  6. Já fui tantas vezes ao Rio de Janeiro que não acredito que nunca fui no jardim botânico :(
    As fotos estão lindíssimas!

    ResponderExcluir
  7. Sensacional o texto e belíssimas fotos, amei!

    ResponderExcluir