"CATEDRAL DE SÃO SEBASTIÃO DO RIO DE JANEIRO" E SUAS DIFERENTES "CASAS"

CATEDRAL DO RIO DE JANEIRO




Hoje, dia lindo de céu azul e temperatura lá pelas casas dos muitos graus, peguei o metrô rumo ao Centro da Cidade do Rio de Janeiro, mais especificamente, à rua Uruguaiana.

Estava animada pois seria a minha estreia em passeios guiados pelo Rio. 
Para essa 1ª vez, escolhi o passeio intitulado 
"As Catedrais de São Sebastião do Rio de Janeiro"
O professor João Baptista Ferreira de Mello coordena um projeto chamado Roteiros Geográficos do Rio, que oferece roteiros gratuitos à pé pela cidade, com o objetivo de levantar a auto estima do carioca.  

O passeio começou por volta de 9h30m com um grupo de mais ou menos 30 pessoas, liderado pelo próprio professor João Baptista, que foi nos contando a história das diferentes igrejas que abrigaram a Catedral do Rio de Janeiro até ela ter uma sede própria.

A Catedral do Rio de Janeiro, antes de ter uma "casa própria", foi "abrigada" em 3 diferentes igrejas: a Igreja da Irmandade da Santa Cruz dos Militares, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito e a Igreja Nossa Senhora do Carmo

Em 1734, a Catedral veio do morro do Castelo para a Irmandade da Santa Cruz dos Militares e aí ficou apenas 3 anos.
Abaixo uma imagem da igreja .

Foto do site www.pt.wikipedia.org
 Foto atual 
Foto do site www.flickr.com
 Teto do hall de entrada da igreja.


Igreja é linda e muito bem conservada e, segundo o professor João, é do estilo "Barroco leve".

Foto do site www.flickr.com

Foto do site www.patrimonioespiritual.org

De 1738 até a chegada da família Real, em 1808a Catedral esteve na Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito.

A família Real desembarcou na Praça XV em 8 de março de 1808 e foi caminhando - pelo que hoje conhecemos como rua do Rosário - até a igreja para agradecer pela viagem.

A igreja foi construída em um terreno doado em 1700 por uma senhora portuguesa chamada Francisca Pontes. Sua construção foi concluída em 1725.
É uma construção colonial com paredes muito espessas e era decorada em talha dourada.


Em 1967 sofreu um grande incêndio perdendo talhas, altares e colunas.


Atualmente, a igreja tem interior muito simples, sem decoração, apenas sete pequeninos quadros, em cada parede lateral, que retratam a Via Sacra.

Foto do site www.capeladomeninodeus.blogspot.com
Em 8 de Março de 2008, na comemoração dos 200 anos da chegada da Família Real ao Brasil, foi celebrada missa na Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos, repetindo o ritual religioso de Março de 1808. Esta celebração contou com a presença da tataraneta da Princesa Isabel.

Vejam que interessante :[clique em notícia] notícia veiculada pela RTP, Radio Televisão de Portugal  .

No entanto, a missa da programação oficial foi realizada na Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro com a presença do presidente do Brasil, na época, Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente de Portugal Cavaco Silva.

Em 1808, a Catedral mudou novamente de "casa". 

Quando a Família Real chegou ao Rio de Janeiro, instalou-se na Casa dos Vice Reis, que passou a ser chamado de Paço Real e hoje é o Centro Cultural Paço Imperial. Na época, Dom João achou por bem instalar a Catedral do Rio de Janeiro na Igreja do Carmo, pois esta ficava bem próxima à sua residência.
 Então, a Igreja do Carmo funcionou como Capela Real e Catedral.

D. João promoveu melhorias na Capela Real, que abrigou grandes eventos, tais como: funeral da rainha D. Maria I, a louca; batizados; casamentos e Aclamação de D. João VI, de Dom Pedro I e Dom Pedro II.

A igreja é simplesmente maravilhosa !


Todo esse trabalho dourado é revestido por folhas de ouro.




A nobreza assistia as missas desses "camarotes" com cortina de veludo.


Abaixo, o púlpito de onde o padre rezava a missa de costas para os fiéis já que não podia ficar de costas para o "santo sacrário".


De 1808 até 1976 a Catedral do Rio de Janeiro funcionou na Igreja do Carmo.

Finalmente, em 1964, a Arquidiocese conseguiu do estado da Guanabara a doação de um terreno para construção de sua "sede própria", a Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Em 1976, foi inaugurada, na Avenida Chile, a Catedral Metropolitana.



Sua forma tem inspiração na pirâmide que os Maias 
construíram na Península de Yucatan, no México.

Foto do site www.en.wikipedia.org
A posição dos 4 vitrais corresponde aos pontos cardeais.




Cada quadrado simboliza um fiel subindo aos céus.

Por que a nossa Catedral se chama
 "Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro" ?

Sebastião foi um valente soldado no Império Romano, chegando a ser Comandante da guarda pessoal do Imperador. Defendia ideias cristãs e, quando o Imperador Diocleciano, que perseguia os cristãos, descobriu, mandou matá-lo à flechadas. Ele não morreu pois foi cuidado por Irene e outras mulheres. Recuperado, se apresentou ao Imperador para pedir que não perseguisse mais os cristãos. Irado, o Imperador mandou espancá-lo até a morte.

Os portugueses sempre foram devotos de São Sebastião. E conta-se que em uma batalha [para defesa de nossa cidade] entre portugueses, franceses e índios, São Sebastião foi visto lutando contra os franceses. Além disso, os portugueses teriam pedido proteção a São Sebastião para se verem livres das flechas indígenas. Bem, os portugueses venceram essa batalha no dia 20 de janeiro, dia do Santo. 
Daí, a homenagem à cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Cliquem aqui e ouçam Milton e Gil cantando uma canção pedindo a São Sebastião para proteger nossa cidade.

O professor João Baptista, coordenador dos Roteiros Geográficos e guia animado dos passeios, escreveu um ótimo artigo[aqui] no jornal O DIA, onde fala do Padroeiro e da canção. 


Bem, se o objetivo desses passeios é levantar o moral do carioca, posso afirmar que consegue. As informações contribuem para que cada um veja o Rio de Janeiro de outra forma.  Eu saí do passeio vendo detalhes e enxergando histórias em igrejas, ruas e sobrados da cidade. 

Recomendo o passeio para todas as pessoas que 
queiram conhecer o Rio de Janeiro

Mais informações, acessem o site www.roteirosdorio.com





Leia Também:

9 comentários

  1. Muito bonita!! Nunca visitei uma igreja bonita assim no Brasil!!

    ResponderExcluir
  2. Nossa , legal e me chamou a atenção o foto de ter sido inspirada em uma pirâmide maia, logo, que faz atribuição aos Deuses né? Muito legal! :) Tenho muito que aprender ainda...

    ResponderExcluir
  3. Que lindeza!!! Agora aumentar a auto-estima do carioca? o projeto poderia ser para mostrar ao próprio carioca as belezas de sua cidade que não apenas praia ....
    adorei
    beijocas
    Li

    ResponderExcluir
  4. Meninas [Nini Ferrari, Melissa Lima e Liliane Arend], obrigada pela visita e comentários.
    Viram que legal a música do Gil e Milton ?

    ResponderExcluir
  5. Que belezura de post, tão rico em história e lindezas... tão bom ver nossa cultura contada e retratada por quem também valoriza tudo isso. Parabéns Lilian querida, emocionante!

    Claudia @MezzoMondo

    ResponderExcluir
  6. Eu amo visitar igrejas, mas não tiro fotos pq entro em oração, sabe? rsrs
    Amo a Catedral do Rio. Seu post me lembrou de quando minha mãe me levava na missa logo após um compromisso na cidade. Bateu saudade..
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Pretendo fazer um passeio histórico pelo Rio de Janeiro com minha irmã que mora em Niterói e adorei a sua dica de hoje. Será um dos primeiros que iremos fazer na capital, parabéns.

    ResponderExcluir
  8. Adorei! Lindas fotos e muitas curiosidades históricas, muito interessante! Como era investido grana nas igrejas católicas antigamente, né, eram verdadeiras obras de arte! Bjsss!

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pela postagem ! Apenas tenho uma observação. Uma igreja chama-se catedral apenas pelo fato de nela se encontrar a cátedra, que é a cadeira do Bispo. Portanto , é incorreto dizer que a arquidiocese do Rio não tinha uma casa própria. Pois todas as Igrejas que receberam a cátedra se tornaram de fato e de direito Catedrais, e todas eram próprias.

    ResponderExcluir