06 julho 2019

Rabat, Marrocos, o que fazer em 1 dia.

Rabat, Marrocos, o que fazer em 1 dia.


Torre Hassan, Rabat, Marrocos.

Rabat, é uma das cidades imperiais e a capital atual do país, portanto não podia ficar de fora da nossa primeira visita ao Marrocos. Segunda cidade do nosso tour, Rabat, tem encantos próprios e só nos confirmou o quanto o Marrocos é um país fascinante com uma cultura única e envolvente.  


Rabat, Marrocos, o que fazer em 1 dia

Localizada à beira do Oceano Atlântico, Rabat é uma cidade grande com clima ameno, praias, construções históricas, grandes ruas com prédios governamentais e uma mistura de moderno com antigo. Quem deixa de visitar Rabat, não sabe o que está perdendo.Nós só tivemos 1 dia na cidade e conseguimos conhecer alguns pontos turísticos muito legais, mas acredito que perdemos outros tantos. Então, se puder, visite a cidade com calma.

Hospedagem em Rabat ? Pesquise e compare preços.

Sede do governo, Rabat, é a cidade onde vive o rei Mohammed VI. No entanto, existem palácios em várias cidades marroquinas para a estadia da família real quando em visita pelo país. Segundo Said, nosso motorista, sempre que uma cidade marroquina estiver com várias bandeiras do país hasteadas pela cidade significa que o rei está ali.

O que fazer em Rabat, Marrocos.
Palácio Real de Rabat. Não é permitido fotografar o palácio real e, por isso, fotos só de longe.

# Acompanhando nosso tour pelo Marrocos ? Já passamos por Casablanca, confira como foi.

Já ouviu falar das cidades imperiais do Marrocos ? Pois é, o país não economiza e tem 4 cidades imperiais : Fes, Marrakech, Rabat e Meknes As cidades, que, em algum momento, foram capital de uma das antigas dinastias que reinaram no país, recebem esse título. No caso, Rabat foi capital do Marrocos em 1660 e mais tarde, entre 1912 e 1956, foi a capital do Protetorado francês, período em que a França exerceu sua soberania no Marrocos. Quando o Marrocos se tornou independente da França o rei decidiu manter Rabat como capital do país e, aí está, até os dias de hoje.

Em 2012, Rabat, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco por ser uma capital moderna e uma cidade histórica bem preservada.

# Chegamos ao Marrocos em um voo direto do Rio de Janeiro e gostamos da viagem com a Royal Air Maroc.  Leia como foi nossa experiência. 

Seguro de viagem

Antes de viajar, eu sempre contrato o Seguro de Viagem da Seguros Promo e acho indispensável que você faça o mesmo. Outro detalhe importante é que enquanto a viagem rola eu levo os papéis do seguro na minha bolsa pra onde quer que eu vá. Ninguém sabe quando vai precisar. Se liga, viagem segura é viagem com Seguros Promo.

Rabat, Marrocos, o que fazer em 1 dia

A primeira coisa a fazer, em qualquer cidade marroquina que você for visitar, é se despojar de certos padrões estéticos para, de coração aberto, apreciar cidades enfeitadas por palmeiras, muralhas que se estendem a preservar a parte antiga da cidade, medinas - que são verdadeiros labirintos de ruelas num clima medieval -, muitas construções pintadas de branco ou em tom ocre, a convivência pacífica entre o antigo e o novo e minaretes aqui e ali que espalham através de seus alto-falantes o som das chamadas para oração. Viajar pelo Marrocos é apaixonante !!!

1] Chellah, Rabat, Marrocos


Chellah em Rabat, Marrocos.

Se você, assim como nós, aprecia lugares onde a história emerge de cada detalhe Chellah não pode ficar fora de seu roteiro e, por isso mesmo, foi o primeiro lugar que visitamos, antes mesmo, de entrar em Rabat. Os primeiros povos a ocupar a região, com vários assentamentos, foram os fenícios, porém há indícios de que os cartagineses, também, tenham vivido na região. Chellah é um sítio arqueológico que guarda, em construções e ruínas, os vestígios mais antigos de uma cidade do período romano. Sala Colonia era seu nome e foi considerada um dos principais centros navais romanos. Em 250 d.C., os romanos perderam o comando da cidade. No século XI foi tomada pelos bérberes e no século XII foi abandonada. Hoje é possível apreciar não só as ruínas romanas: Foro, Arco do Triunfo e o Decumanus Maximus [caminho romano principal], como, também, vestígios da necrópole e mesquita construída pelos árabes, além da muralha de proteção. As cegonhas brancas fazem seus ninhos no topo do minarete e em alguns outros locais, alegrando o ambiente.

Chellah,Rabat, Marrocos
Foro Romano em Chellah, Rabat, Marrocos.
Necrópole muçulmana medieval de Chellah, Rabat.

 É pago um ingresso para se ter acesso à visitação. Alguns guias ficam próximos à entrada oferecendo seus serviços mas nós fizemos a visita sem guia. 

2] Kasbah dos Oudaias e Jardins Andaluzes, Rabat, Marrocos 

Kasbah dos Oudaias, Rabat, Marrocos. 

Monumento de grande valor histórico, a Kasbah dos Oudaias é uma fortaleza medieval muçulmana construída, em 1150, por soldados árabes - os oudaias - a mando de um sultão almorávida. Mais tarde, outra dinastia implementou melhorias, contudo, após a queda da mesma a Kasbah, ficou abandonada e, só por volta de 1493, recomeçou a ocupação pelos mouros, muçulmanos expulsos da Espanha, que lhe acrescentaram novas construções.

A principal porta de entrada [à direita] chama-se Bab Oudaia e fica ao lado da Porta Monumental [de frente na foto]
Ponto obrigatório de visitação, a Kasbah dos Oudaias abriga, no interior de suas muralhas : a mesquita mais antiga de Rabat, comércio, restaurantes, lojas de artesanato, além de ruas estreitas e moradias pintadas de branco e azul. As portas, dos mais variados modelos, são um charme à parte.

Kasbah dos Oudaias, Rabat, Marrocos

Nem sempre é fácil caminhar pelos becos da Kasbah, nos perdemos várias vezes, entretanto, depois de algumas tentativas, chegamos a uma praça chamada "Plataforma do Semáforo", onde é possível admirar a bela vista do Atlântico, da praia e de Salé, cidade do outro lado do rio. Ao lado da Kasbah dos Oudaias  estão os Jardins Andaluzes , jardins que funcionam como uma espécie de oásis com fonte, flores e árvores cheias de tangerinas. Atração gratuita.

Jardins Andaluzes em Rabat, Marrocos.
Quer conhecer o Marrocos ? Então, esse post é pra você "Roteiro de 11 dias no Marrocos".

3] Torre Hassan e Mausoléu Mohammed V, Rabat, Marrocos

Esse ponto turístico é composto, de um lado, pelo, Mausoléu Mohammed V, majestoso prédio construído em homenagem a Mohammed V, considerado o pai da Independência do Marrocos. Em seu interior estão os jazigos de Mohammed V e seus filhos Rei Hassan II e Moulay Abdallah. 


Mausoléu Mohammed V, Rabat, Marrocos.

Do outro lado fica a Torre Hassan, torre inacabada que seria o minarete da maior mesquita do mundo. Em 1195, sob o comando do Sultão Yacoub El Mansour, teve início a construção da mesquita, mas, com sua morte, outra dinastia assumiu o poder e não deu continuidade às obras. Em 1755, o terremoto de Lisboa levou abaixo boa parte do que estava construído.

Entre a Torre Hassan e o Mausoléu Mohammed V tem uma grande esplanada com colunas da mesquita que seria construída.


É possível entrar no mausoléu e apreciar a riqueza de seu interior : pisos em mármore e granito, mosaicos revestindo as paredes internas, madeira esculpida em trabalho detalhado nas paredes e teto.  É imponente por fora também com sua fachada toda branca e seu telhado verde, cor do Alcorão.

Mausoléu Mohammed V em Rabat, Marrocos.
Os soldados montados em seus cavalos, que fazem a guarda desses 2 pontos turísticos, recebem os primeiros clicks dos vistantes. Atração gratuita.

Torre Hassan e Mausoléu Mohammed V

5] Medina de Rabat e Avenida Mohammed V, Rabat, Marrocos 

Se você está se perguntando o que é uma medina, lá vai: medina é a parte histórica de uma cidade. Nós gostamos muito de ter andado pela medina de Rabat, porém claro que não nos "metemos" em ruelas nem em ruas perpendiculares. Essa era uma medina fácil de ser explorada pra quem, como nós, estava hospedado em um riad na própria medina. Alíás, que riad charmoso ! Voltando à medina, nós pegávamos a rua principal e íamos caminhando até o final e, para não nos perdermos, voltávamos pela mesma rua.


De um lado e outro, muitas vitrines com doces árabes cheios de mel e super apetitosos. Lógico que não resistimos e provamos.

O comércio na medina é o mais variado possível : roupas, calçados, souvenirs, armazéns, açougues, artesanato etc... Há também os vendedores de rua a vender de tudo um pouco. O bom em Rabat foi não precisarmos barganhar tanto para comprar.
Graças às nossas caminhadas à pé, descobrimos que era fácil chegar à Avenida Mohammed V, que é uma grande e bonita avenida com alameda central ladeada por palmeiras. Nela se destacam prédios no estilo art deco, a estação de trem Rabat Ville, o Hotel Balima e o Museu Mohammed VI de Arte Contemporânea e Moderna.

Avenida Mohammed V, Rabat

6] Praia de Rabat, Calçadão e Farol, Rabat, Marrocos

Como já falei, Rabat é banhada pelo Oceano Atlântico e possui praias, entretanto elas não são a grande atração da cidade. Em uma caminhada pra fora das muralhas da medina descobrimos um caminho para o mar e fomos dar uma espiada em uma das praias de Rabat. É bem diferente das praias brasileiras que conhecemos, contudo, lá como cá, o bom futebol dominava as areias no final da tarde. Caminhamos pelo calçadão acompanhando o por do sol.

O Phare du Fort de la Calette ou Farol de Rabat fica na orla da praia de Rabat, foi construído em 1920 durante o reinado de Moulay Youssef e ainda está em funcionamento. O reflexo do por do sol em sua torre e as ondas que explodem em sua base também encantam.

Phare du Fort de la Calette ou Farol de Rabat, Marrocos.

 

Como chegar a Rabat ? Como circular em Rabat ? 


De avião - Aeroporto de Rabat - recebe voos internacionais e nacionais.
De trem - Rabat tem 2 estações de trem e percursos para Marrakech, Agadir, Casablanca, El Jadida e Fes. Há também um TGV de Tanger à Casablanca, que faz uma parada em Rabat.
De carro - Nós chegamos a Rabat de carro por uma ótima estrada desde Casablanca.

Em Rabat nós fomos de carro visitar Chellah e a Torre Hassan/Mausoléu Mohammed V, mas depois fizemos à pé, todos os demais passeios citados acima.

Comparada à outras cidades marroquinas, Rabat não é uma cidade super badalada, porém recebe bom número de visitantes e vale muito a visita. Nós adoramos conhecer Rabat, aproveitamos cada segundo de nossa curta estadia e, mesmo assim, deixamos de visitar algumas coisas. Ótimo motivo para voltar ao Marrocos, país que conquistou nossos corações.


                                                             FOTOS: J.C. ALVAREZ

Leia Também

Marrocos
Chegando ao Marrocos: aeroporto, imigração, dinheiro e chip
Roteiro de 11 dias no Marrocos

- Casablanca 2019 -
Onde ficar em Casablanca
O que fazer em Casablanca em 1 dia 

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search