O QUE FAZER EM CÓRDOBA ?

Nosso hotel ficava em frente ao Jardines de La Victoria onde, em 1993, foram descobertos dois Mausoléus Romanos. Essa já foi a 1ª atração do dia a ser visitada. 

Eles são do século I D.C. e foram construídos, como era costume na época, perto da estrada que ligava Córdoba a Sevilha. Como é um mausoléu muito grande, os pesquisadores acham que pertenceu a uma família rica.  






Caminhar pela Avenida del Gran Capitain, uma enorme avenida arborizada com muitas lojas legais, bares e restaurantes, sempre fazia parte de nossos percursos. Vale a pena conhecê-la.

Foto do site www.commons.wikimedia.com

A Plaza de la Corredera é a "Plaza Mayor" de Córdoba, em formato retangular bem grande, com vários cafés e bares.

Neste local existiu um anfiteatro romano e alguns objetos encontrados aí, em época de obras, estão expostos no Alcázar de los Reyes Cristianos.




Nós passávamos na praça de manhã bem cedo e os caminhões estavam descarregando mercadorias, mas, à noite, a praça ficava bem animada.






Puerta de Almodóvar e Muralha



Essa é uma das portas existentes na Muralha que servia para proteger Córdoba. Ao se atravessar essa porta, chega-se ao bairro judeu. 


Nesse dia continuamos nosso passeio pelo lado de fora da muralha e descobrimos um lugar que não estava na nossa "lista do que fazer em Córdoba".




 Baños del Alcazar Califal: espaços que serviam não só como casas de banho mas, também, como lugar importante de convívio social para os muçulmanos.

Foram descobertos inicialmente em 1903, mas acabaram permanecendo enterrados, e só foram redescobertos em 1964. Em 2006, após várias obras, foram abertos ao público como "museu" e está bem organizado para visitação.

Na foto abaixo, vemos a estrutura dessa casa de banho.















Córdoba foi a cidade com maior número de casas de banho da Andaluzia.

Bairro Judeu ou Juderia

Durante um período, os judeus tiveram que viver em um bairro específico e este ficava próximo às muralhas.



Apesar de terem existido em Córdoba muitas sinagogas, nem todas sobreviveram após a expulsão dos judeus da Espanha. A Sinagoga de Córdoba que hoje existe foi construída em 1315. Após a saída dos judeus, foi usada como hospital e foi declarada Monumento Nacional em 1885, quando passou a ser preservada. 








Abaixo, a estátua em homenagem à Maimônides, rabino, médico e filósofo importante que codificou os 13 Princípios do Judaísmo.
Ele nasceu em Córdoba, mas, ainda jovem, teve que fugir com sua família quando os judeus, que não se converteram ao Islamismo, foram expulsos da cidade. Faleceu no Egito e deixou uma grande obra filosófica.




Caminhando pelas ruelas maravilhosas de Córdoba encontramos a Capilla Mudéjar de La Iglesia de San Bartolomé. Foi construída no final do séc.XIV e é mais um exemplo da arte mudéjar.

Atualmente, essa capela faz parte da Faculdade de Filosofia e Letras, que está situada no antigo Hospital do Cardeal Salazar.











Parte das paredes é revestida por mosaicos de azulejos com diferentes desenhos. Outra parte é revestida por pedras e outra por brasões. E um trabalho em alto relevo que parece um rendilhado, não sei se em madeira ou gesso?


Seguimos para conhecer o Alcázar dos Reys Cristianos que foi a residência dos reis D.Fernando de Aragão e D.Isabela de Castela.

O Alcázar começou a ser construído em 1328 por D. Afonso XI, mas tem características da arquitetura moura que era muito apreciada pela nobreza espanhola.
No Alcázar também funcionou o 1º Tribunal da Inquisição Espanhola. 




Abaixo, a Torre de Los Leones.





Nessa foto, vemos a Torre da Inquisição.



A Torre del  Homenaje aparece na foto abaixo.



Neste salão estão os painéis de mosaico que faziam parte do Circo Romano e que foram encontrados na Plaza de La Corredera, por ocasião de obras.






Os jardins do Alcazar são lindos, sempre com fontes e lagos.



O Pátio de Los Reyes tem ciprestes cilíndricos dispostos simétricamente.



Estátua dos Reis cristãos com Cristóvão Colombo. Foi, aí, nesse Alcázar, que os reis Fernando e Isabel receberam Cristóvão Colombo para conhecer o projeto do novo caminho para as Índias.




Ponte Romana


Essa ponte foi construída no século I D.C. quando Roma dominava a região. Ao longo do tempo, passou por obras de melhoria .
 Durante séculos, Córdoba só contou com essa ponte sobre o rio Guadalquivir.




Puerta del Puente

A Puerta del Puente, a Puerta de Almodovar e a Puerta de Sevilla são as três que existem, ainda hoje, em Córdoba. Foi uma passagem importante por onde circularam pessoas e mercadorias. Na realidade, foi construída em 1572 para substituir uma que havia nesse lugar. 





Do outro lado do rio encontramos a Torre de La Calahorra, construída pelos mouros para proteger a Ponte Romana. Em 1369 foi acrescentada uma torre e ficou com a aparência atual. 





Ainda nessa margem do rio Guadalquivir está o Molino San Antonio. Ele funcionou como moinho de farinha e, atualmente, é um espaço de exposições. 

Existem mais 10 moinhos e, todos juntos, formam os Molinos del Guadalquivir. Eles foram, em 2009, declarados Patrimonio Histórico da Andaluzia.





Só passamos 2 dias em Córdoba e esse foi o roteiro que conseguimos fazer. Ficamos com um gostinho de quero mais e desejamos, em breve, voltar. 



FOTOS : J.C. ALVAREZ





Leia também

Nenhum comentário