TIRADENTES, Ô TREM BOM !!!!

A cidade de Tiradentes nasceu com o nome de Santo Antônio do Rio das Mortes por volta de 1702. As vilas surgiam em função de alguma atividade comercial, que no caso de Tiradentes, foi a exploração das "minas" de ouro. 

Em 1718 tornou-se vila devido ao seu crescimento e passou a se chamar Vila de São José.

Só em 1889 a cidade passou a ter o nome com o qual a conhecemos hoje, em homenagem a Joaquim José da Silva Xavier, mais conhecido como Tiradentes, considerado herói nacional por ter participado ativamente no movimento Inconfidência Mineira pela independência do Brasil.

Você conhece a música "Exaltação a Tiradentes" na voz de Elis Regina? 
Clique no nome abaixo e ouça...

"Joaquim José da Silva Xavier  
morreu a 21 de Abril 
pela Independência do Brasil.
Foi traído e não traiu jamais 
a Inconfidência de Minas Gerais"...

Andar pelas ruas e ladeiras da cidade, visitar suas igrejas, apreciar a arquitetura colonial de suas construções, admirar a imensidão da Serra de São José, ouvir o barulhinho de charrete, curtir os móveis mineiros, os ateliês, o artesanato e a comida típica nem de longe nos faz pensar de quanta história essa cidade já foi testemunha.



Então, vamos lá começar o passeio...

1] Chafariz de São José 



Construído para trazer água da Serra de São José para a cidade, aí as pessoas pegavam água e na parte da trás os animais podiam se fartar.

2] Matriz de Santo Antônio 

A linda Matriz de Santo Antônio, do alto de uma ladeira, parece vigiar toda a cidade, ao mesmo tempo, que de quase qualquer lugar, pode ser vista.





  

Um charme chegar à igreja nessa charrete, né?!

Mas nós chegamos à pé, subindo essa ladeira bem aos pouquinhos. 
Do pátio, na frente da igreja, a vista é essa...


Ainda no pátio frontal está o Relógio de Sol que, como o próprio nome diz, indica a hora pela posição do sol.



No pátio lateral da igreja, perto das palmeiras, fica um pequeno cemitério.


Saia por esse portão lateral e não deixe de conhecer a rua Santíssima Trindade, à direita da Matriz.
Nessa tranquila rua de calçamento de pedras largas e achatadas encontram-se os restaurantes "Atrás da Matriz" e "Angatu". 




 É uma paz caminhar por essa rua só de casinhas, que aos poucos se alarga formando uma praça, onde fica o Santuário da Santíssima Trindade.





3] O Santuário da Santíssima Trindade,  segundo consta em uma placa informativa, está localizado no início do principal caminho que ligava as Vilas de São José a de São João del Rey . O Santuário substitui uma antiga Capelinha construída nos finais do século XVIII. A nova construção foi desenhada/planejada por Manoel Victor de Jesus. No seu interior, destaca-se uma rara imagem em tamanho natural do Pai Eterno coroado por uma tiara papal, tendo ao peito o Divino Espírito Santo.
Essa imagem sai em procissão nos meses de maio ou junho, por ocasião do Jubileu que reúne milhares de romeiros. A sala dos milagres, construção recente no conjunto do Santuário, abriga... [trecho copiado da placa ]


O Jubileu é uma das maiores festas de Tiradentes.

A área, onde está o Santuário, é muito grande. Atrás da igreja tem um pátio com chafariz e bancos, loja de souvenirs, sala dos milagres e banheiros.





Terminando a visita ao Santuário, pegue a saída lateral e continue caminhando pela rua Santíssima Trindade. Nós visitamos duas pousadas muito interessantes aí.




Voltando para a cidade, vê-se a Igreja Matriz por outro ângulo.




4] Fomos à igrejinha de São Francisco de Paula, pra de lá curtir o por do sol.


Essa igreja do século XVIII é bem pequena, muito simples e só está aberta à visitação aos sábados de 17 h às 19 h. Nós não sabíamos dessa informação pois sempre a víamos fechada. Demos sorte, e quando chegamos no topo da ladeira, eis que...

No altar, a imagem de São Francisco.



Nas paredes laterais da igreja pinturas ilustram moradores da cidade assistindo à uma cerimônia religiosa. A pintura é tão bem feita que parece real.


No teto, uma delicada pintura de São Francisco.


Sentamos no gramado e ficamos identificando os diferentes lugares da cidade. Logo abaixo, a rodoviária.



 Lá no alto, a Matriz de Santo Antonio.



6] Descemos a tempo de ir no Seu Chico Doceiro, personagem ilustre da cidade, pegar nossa encomenda. O volume de vendas é tão grande que é prudente fazer encomendas pra não correr o risco de sair de lá de mãos vazias. 

Em uma de nossas primeiras visitas à cidade, depois de almoçarmos em um restaurante na pracinha, perguntamos ao garçom onde podíamos encontrar doces caseiros: de abóbora, de leite, de coco. Ele nos deu o endereço de Seu Chico. E, de lá pra cá, essa casinha [ abaixo ] é parada obrigatória.



Simpatia mineira e jeitinho simples, Seu Chico está sempre trabalhando, muitas vezes, acompanhado do filho. Adora receber os clientes e conversar.

Nunca saímos de lá sem canudinhos com doce de leite, figo recheado com doce de leite, cajuzinho, doce de abóbora e cocada.
 As encomendas sempre chegam ao Rio meio desfalcadas.
Um detalhe importante é que Seu Chico despacha encomendas para todo o Brasil.

Que bom que a qualidade se mantém, que o preço permanece honesto e que a fama não subiu à cabeça !  

Chico Doceiro fica na rua Francisco Morais 74.

Passear por Tiradentes não precisa de um roteiro. Saia caminhando, entre nas igrejas, suba e desça ladeiras e sente na pracinha. 
Você pode ser surpreendido por uma conversa animada entre maritacas !





FOTOS : J.C. ALVAREZ


Leia também:  


Nenhum comentário