PAIXÃO POR TRILHOS: TREM E BONDE !



Tiradentes

Aqui em casa temos paixão por trem: passeios de trem, estação de trem, museu de trem e viagens de trem !!!!! Andamos muito de trem urbano quando éramos crianças, e, talvez isso, tenha deixado boas marcas, boas recordações. 

Infelizmente, aqui no Brasil, para viajar, não usufruímos de uma malha ferroviária e suas facilidades como na Europa.   
Fato é que, em nossas viagens, sempre que chegamos em uma cidade e tem algo relacionado a trem, nós não perdemos a oportunidade de conhecer. 

Na nossa experiência, passear de trem no Brasil é meio sessão nostalgia pois andamos em trens antigos como os de Tiradentes.
Trem Tiradentes para São João Del Rey
Quando o trem está chegando, em Tiradentes, ele apita dando um aviso e logo os turistas se reúnem na estação com certa expectativa. Várias pessoas, que não vão fazer o passeio de trem, chegam para ver a movimentação e esperar o trem partir. Os que já entraram no trem colocam-se à janela a acenar para quem fica. As crianças parecem meio admiradas e meio com medo daquele trem enorme que apita, solta fumaça e cospe fogo. De repente, lá se vai a Maria Fumaça, nome carinhoso dado à locomotiva à vapor.

Chegando em São João Del Rey, a estação é uma grande atração pois o prédio do séc. XIX abriga o Museu Ferroviário, que guarda relíquias e merece ser visitado. 
A Estrada de Ferro Oeste de Minas, EFOM, inaugurada em 1881, ligava algumas cidades mineiras, entre elas, Tiradentes e São João Del Rey e continuava rumo ao oeste mineiro. Hoje, funciona apenas como uma linha turística entre essas duas cidades.

Quando fomos a Santos, fizemos questão de visitar a atração abaixo.
A Estação do Valongo, na cidade de Santos, foi inaugurada em 1867, ocasião em que a São Paulo Railway, primeira ferrovia do estado de São Paulo, começou a funcionar. Essa ferrovia ligava Santos a Jundiaí e era um meio de transporte muito importante do interior do estado para o litoral. O prédio da estação é uma construção muito bonita e inspirada na arquitetura londrina.  

Estação de Trem do Valongo

A Estação do Valongo recebeu trens de passageiros até novembro de 1996 e, então, foi desativada. Ao longo desse tempo, também recebeu trens de carga com mercadorias, principalmente, o café. Hoje abriga a Secretaria Municipal de Turismo e o Restaurante Escola de Santos, Estação Bistrô. 

Da frente dessa linda estação parte um passeio de bonde, o Bonde Turístico de Santos. Pronto, descobri que na verdade somos apaixonados por trilhos pois, além dos trens, também adoramos bondes. Acho que é porque bondes também fizeram parte da nossa infância. Lá fomos nós passear de Bonde Turístico pelo centro histórico de Santos.
Bonde Turístico de Santos
Anúncios no interior do bonde
O bonde começou a funcionar em Santos em abril de 1870 e era puxado por animais. Em abril de 1909 passou a ser bonde elétrico.
O passeio de bonde percorre uma parte do centro histórico de Santos e uma guia bilíngüe acompanha contando um pouco da história dos casarões e da cidade. O passeio tem duração de 40 minutos e dá uma ideia da vida no século XIX, em uma das mais antigas cidades do Brasil e porto importantíssimo até os dias atuais.

Um lugar que não fica de fora do roteiro, sempre que visitamos São Paulo, é a Estação da Luz. Fica num prédio lindo todo de tijolinhos e sua torre com relógio pode ser vista de diferentes lugares. Está localizada no bairro da Luz, em frente ao Jardim da Luz e à Pinacoteca.

Estação da Luz

Em 1867 foi concluída a construção da primeira Estação da Luz. A São Paulo Railway, 1ª ferrovia paulista, saía de Santos - Estação do Valongo -, parava em São Paulo - na Estação da Luz -, e seguia até Jundiaí.

Em 1901 foi inaugurada a ampliação da Estação da Luz . O projeto arquitetônico original é do arquiteto inglês Charles Henry Driver. Toda a estrutura metálica da estação e os equipamentos de iluminação vieram da Inglaterra.
Estação da Luz
Entre 1990 e 2000, a Estação da Luz passou por reformas para adaptá-la a incorporar ao seu prédio o Museu da Língua Portuguesa. Atualmente, é uma estação de trens urbanos e de metrô. 

Muito perto dali, está outra bela estação, em estilo neoclássico, a Estação Júlio Prestes, que era uma das estações da Estrada de Ferro Sorocabana. Em nossa última visita a São Paulo a conhecemos através de uma visita guiada.

Estação Júlio Prestes

Construída por empresários sorocabanos do ramo do café, foi inaugurada em 1875. Ligava, inicialmente, a cidade de Sorocaba a São Paulo, mas logo se expandiu, conectando outras cidades e estados.

A Estação Júlio Prestes fica no bairro Campos Elíseos, nome recebido em referência a Champs Elysées de Paris, que era na época o bairro da elite cafeeira.

A construção da Ferrovia Sorocabana e da estação veio como uma resposta aos ingleses, que monopolizavam as ferrovias no Brasil, e também como uma forma de mostrar que os brasileiros também eram capazes de ter sua própria ferrovia.

Estação Júlio Prestes

Na foto acima, podemos ver guirlandas de café, em alto relevo, na parte de cima dos arcos, assim como, em ferro nas portas. Esses vários detalhes tinham como função ornamentar, mas, também, fazer referência ao café, grande riqueza que possibilitou toda essa construção.

Nesse outro saguão é possível também observar, referências ao café, nos vitrais: sacas de café, plantação de café e a estrada de ferro que transporta o café. Estão representados os três setores da economia: financeiro, industrial e agrícola.

Estação Júlio Prestes

Esses belos vitrais foram feitos pela Casa Conrado, também responsável pelos vitrais do Mercado Municipal de SP e Catedral da Sé.

Vitral Sala São Paulo

As duas estradas de ferro não tinham ligação entre si. Então, os produtos que chegavam a São Paulo pela Sorocabana dependiam da São Paulo Railway para chegar ao porto de Santos. Só em 1935 foi inaugurada a Linha Mairinque /Santos construída pela Sorocabana, que quebrava o monopólio da SP Railway no trajeto até o porto. 

De 1988 em diante, a Estação Júlio Prestes deixou de ser ponto de partida para trens de longa distância para passageiros. Ainda hoje, pequena parte dessa estação, atende aos trens da CPTM.

Por volta de 1997, a Estação Júlio Prestes passou por obras para construção da Sala São Paulo, espaço que se tornou a sede da Orquestra Sinfônica de São Paulo. A Secretaria de Cultura também funciona na antiga estação.

A Sala São Paulo é a sede, e a sala de concertos onde se apresenta a OSESP - Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. É uma obra primorosa de restauro, arquitetura, acústica e tecnologia. Projeto de Nelson Dupré, a Sala São Paulo foi classificada, em 2015, pelo The Guardian, jornal inglês, como uma das 10 melhores casas de concerto do mundo.

Sala São Paulo

No centro histórico de Recife fomos conhecer a Estação Central Capiba que abriga o Museu do Trem de Pernambuco, considerado o mais antigo do gênero no país. Uma estação muito bonita, com rico acervo exposto nos 2 pavimentos.

Museu do Trem em Recife

A antiga Estação Central de Recife foi a estação inicial da Rede Ferroviária do Nordeste. Tempos depois, passou a servir à Estrada de Ferro Central de Pernambuco e foi inaugurada em 1888.

A Great Western of Brazil Railway Company Limited foi uma companhia criada para construir ferrovias no Brasil. Chegou a construir 4 ferrovias no nordeste, tanto para passageiros como para carga.

O prédio da Estação Central Capiba apresenta detalhes em ferro nos vitrais e águias de bronze junto ao telhado. 


Museu do Trem em Recife

No acervo, também, podem ser vistos bancos de passageiros, sinos, relógios, louça, telefones, placas, lanternas, bagagem, balança etc...
Museu do Trem
Vejam abaixo os carimbadores de bilhetes que eram usados pelos funcionários para marcar os bilhetes dos passageiros nas bilheterias das estações. Dentro do trem, os fiscais usavam os perfuradores de bilhetes.


Museu do Trem de Pernambuco

Em seu amplo pátio, algumas locomotivas, de origem inglesa, estão em exposição. 


Museu do Trem em Recife

Desde 1828 havia movimentos/interesses/incentivos para implantação de ferrovias no nosso país. Apesar das vantagens econômicas oferecidas a quem se dispusesse a iniciar esse projeto, eles não foram suficientes para a concretização do mesmo. Tanto é que a primeira ferrovia no Brasil só começou a ser construída em 1852, pelo Barão de Mauá, sendo inaugurada em 1854. Esta ligava o Rio de Janeiro [porto de Mauá na Baía de Guanabara] à cidade de Raiz da Serra, na direção de Petrópolis.

Em 1858 foi inaugurada a ferrovia de Recife ao São Francisco. No mesmo ano, Dom Pedro inaugurou a Estrada de Ferro Central do Brasil, que ligava Rio de Janeiro/São Paulo/Minas Gerais. Já na Bahia, em 1860, foi inaugurada a ferrovia que ligava Salvador a Alagoinhas.

No Brasil houve grande incentivo para a construção de rodovias em detrimento às ferrovias tanto para circulação de passageiros quanto de cargas. Isso, infelizmente, contribuiu para a desativação progressiva da maioria das ferrovias. 

Mas focando no que é bom, ainda hoje, é possível curtir algumas pequenas viagens ou passeios de trem no Brasil. 

# Vejam algumas estradas de ferro que fazem serviço de passageiros: Estrada de Ferro Vitória a Minas [EFVM], Estrada de Ferro Carajás [EFC] e o Trem Turístico Ouro Preto - MarianaTodas três operadas pela Companhia Vale

# No sul, há um lindo passeio feito pela Ferrovia Curitiba-Paranaguá ligando Curitiba/ Morretes/Paranaguá. Segue pela Serra do Mar atravessando túneis, pontes e viadutos. 

# Campos do Jordão, cidade serrana de São Paulo, tem em funcionamento passeios de trem e de bonde turístico.  Um dos passeios de trem sai de Campos do Jordão, segue pela Serra da Mantiqueira e chega à cidade vizinha de Santo Antônio do Pinhal. É um passeio bem gostoso e leva 1 hora de ida, meia hora de parada no mirante em Santo Antônio e 1 hora de volta. Veja os outros trajetos da Estrada de Ferro Campos Do Jordão.

 # A Alessandra Lima do blog "de cá pra lá" enriquece esse relato nos contando em dois posts de um ótimo passeio de trem que sai da Estação da Luz e vai até Paranapiacaba e depois nos leva a conhecer o Festival de Inverno de Paranapiacaba.

Paranapiacaba    

Festival de Inverno de Paranapiacaba 

Então, vamos lá aproveitar ! 

"Lá vai o trem com o menino
Lá vai a vida a rodar.....
Lá vai ciranda e destino
Cidade e noite a girar
Lá vai o trem sem destino
Pro dia novo encontrar
Correndo vai pela terra
Vai pela serra
Vai pelo mar
Cantando pela serra o luar
Correndo entre as estrelas a voar..."

Trenzinho do Caipira[ Heitor Vila Lobos/Ferreira Gullar]

Café com pão
Café com pão 
Café com pão
Virge Maria, o que foi isso maquinista ?
Agora sim
Café com pão
Agora sim
Voa, fumaça
Corre, cerca
Ai,seu folguista
Bota fogo
Na fornalha 
Que eu preciso
Muita força,
Muita força,
Muita força,

Foge bicho
Foge povo
Passa ponte
Passa pasto
Passa boi 
Passa boiada
Passa galho.....
Trem de Ferro [Manuel Bandeira]



FOTOS : J.C. ALVAREZ

8 comentários

  1. Que post bacana, às vezes em viagens a trabalho, me deparo com alguma estação de trem antiga e fico pensando no glamour que era viajar de trem antigamente...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. também fico imaginando como era legal antigamente, que frisson esperar quem chegava e levar quem partia. um beijo

      Excluir
  2. Que post delicioso! Também adoro viajar de trem e já fiz alguns passeios! O bondinho de Santos também foi um passeio bem legal! E vc sabia que no Museu da Imigração em SP, há um passeio de Maria Fumaça aos finais de semana? Fica a dica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima dica,Lili ! Quando for a SP farei pois adoro trens. beijocas

      Excluir
  3. Eu adoro os passeios de trem, como o de Tiradentes. Mas queria que o Brasil investisse nesse meio de transporte que funciona tão bem em outros países, com segurança, sem trânsito...

    ResponderExcluir
  4. Que lindo esse post!!!
    Nós também adoramos passear de trem! Uma pena mesmo aqui no Brasil, esse tipo de meio de locomoção ser tua pouco explorado.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada,Francine. Passear de trem é um barato,né ? temos que aproveitar todas as oportunidades que existem aqui no Brasil. beijocas

      Excluir
  5. Olá, Viajento
    eu também sinto muito nosso país não investir no transporte ferroviário e os passeios turísticos que existem são pouco divulgados.um abraço,Lilian

    ResponderExcluir